Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Patrística vol. 19 - Agostinho

E-mail

INTRODUÇÃO
I. Ocasião da obra
Após o batismo, em Milão, na Páscoa de 387, Agostinho decide levar vida monástica na África, juntamente com seus amigos do retiro de Cassicíaco. Na viagem de volta, no outono do mesmo ano, em Óstia, dá-se o inesperado falecimento de sua santa mãe. Resolve, então, permanecer por mais algum tempo em Roma. Ao fixar-se, enfim, na sua cidade natal, a pequenina Tagaste, para iniciar a sonhada vida cenobítica de recolhimento e estudo e “in otio deificari” consegue realizar o ideal por apenas uns dois anos. Numa visita de  finalidade apostólica a um amigo, na vizinha cidade de Hipona, é efusivamente aclamado pelo povo: “Agostinho presbítero!” O velho bispo Valério necessitava de coadjutor… Levado pela urgência da caridade, sacrifica o nosso santo as suas aspirações monásticas.

 

 

Fantasia - Masturbação - McLaughlin

E-mail

Fantasias sexuais constituem sempre adultério?
Numa outra resposta foi dito:2
“Um ato de masturbação motivado por pensamentos sobre uma pessoa com quem se espera, com razão, casar, poderia escapar também da condenação desse argumento”.
Penso que ter esses pensamentos é cometer adultério. Até que uma pessoa se case, não pode ter tais pensamentos.

 

 

Patrística vol. 18 - Atanásio

E-mail

INTRODUÇÃO
1. Do nascimento até o concílio de Nicéia
Este volume da coleção Patrística nos dá a conhecer um dos maiores e mais ilustres padres e doutores da Igreja: o maior batalhador na defesa do Credo de Nicéia, o pilar da ortodoxia. Falamos de santo Atanásio de Alexandria, o campeão da tese da consubstancialidade do Pai e do Filho e, conseqüentemente, o maior adversário de Ário. Este homem contundente, apologista e polemista, lutador incansável, nasceu em Alexandria em 295 de nossa era e morreu depois de uma longa e conturbada existência, nesta mesma Alexandria aos 2 de maio de 373.

 

 

Patrística vol. 17 - Agostinho

E-mail

Santo Agostinho começou a escrever o De doctrina christiana no início de seu episcopado, em 397. Redigiu então os três primeiros livros, mas só veio a terminar a obra em 426 ou 427, anexando mais 13 capítulos ao terceiro livro e compondo todo o quarto. Temos assim uma obra que levou trinta anos para ser completada! Ao se dedicar à revisão de seus escritos, no fim da vida, constatando essa obra inacabada, quis terminá-la. Diz-nos textualmente, nas Retractationes:

 

 

Patrística vol. 16 - Agostinho

E-mail

DOS BENS DO MATRIMÔNIO

O termo matrimônio — do latim, matrimonium — deriva sua raiz da palavra mater, mãe, porque, como é afirmado por santo Agostinho no Contra Faustum, 19,26, o objetivo de conduzir uma mulher às núpcias é o de torná-la mãe. Hoje, por matrimônio se entende a união legítima do homem e da mulher com o fim de viverem em profunda unida-de, formar uma família, procriar, formar e educar os filhos.

 

 


Página 1 de 2

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 608 Livros
  • Este site tem um total de 1495 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até julho 2016:
576.071
Total de páginas visitadas até julho/2016:
1.654.450