Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo O Homem Caído - O estado do homem após a queda.

O Homem Caído - O estado do homem após a queda.

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER - PERGUNTAS 19 E 20

Pergunta 19: Qual é a miséria do estado em que o homem caiu? Resposta: Todo o gênero humano pela sua queda perdeu comunhão com Deus, está debaixo da sua ira e maldição, sujeito a todas as misérias nesta vida e às penas do Inferno para sempre.

Por intermédio de Adão o pecado entrou no mundo e desta forma todos se tornaram pecadores, e através do pecado a morte passou para todos os homens, pois em Adão todos pecaram e não conseguem mais, por si mesmos, reatar a comunhão perdida.

Romanos 5,12: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.

Adão tinha a consciência de seu pecado, pois após comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, ele passou a ter vergonha de Deus.

Adão e Eva andavam nus pelo jardim e na sua inocência apresentavam-se nus diante de Deus e não se envergonhavam, mas após o pecado, passaram a ter medo e vergonha.

Gênesis 3,8: “Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim”.

O homem foi criado à imagem de Deus e por este motivo todos possuem em sua consciência o conhecimento inato de Deus, o que torna o homem indesculpável pelos seus pecados, pois, tendo a consciência de Deus, não o glorificam como o Deus Criador.

Romanos 1,21: “Porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato”.

Pela natureza corrompida pela queda, o homem não apenas perdeu a comunhão com Deus e tornou-se pecador, como se tornou, também, incapaz de salvar a si mesmo, vejamos o que diz o profeta Isaías a respeito das justiças praticadas pelo homem.

Isaías 64,6: “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam”.

O pecado do homem caído é o mesmo de Adão: O amor por si mesmo, o desejo e a determinação em ser o dono da sua vida, igualar-se a Deus. A negação de si mesmo é o primeiro passo para reatar a comunhão perdida na queda. Cristo não agradou a si mesmo.

Romanos 15,3: “Porque também Cristo não se agradou a si mesmo; antes, como estáescrito: As injúrias dos que te ultrajavam caíram sobre mim”.

PERGUNTA 20: Deixou Deus todo o gênero humano perecer no estado de pecado e miséria? RESPOSTA: Tendo Deus, pela sua boa vontade, escolhido alguns para a vida eterna, entrou com eles em um pacto de graça, para os livrar do estado de pecado e trazer a um estado de salvação por meio de um Redentor.

O pecado não deve ser visto apenas como a violação da lei, mas é fundamentalmente uma violação da relação pessoal com Deus, afastando o homem da comunhão divina e tornando-o incapaz de reatar esta comunhão.

Romanos 3,23: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”.

Quando expulsa o homem do paraíso, Deus manifesta seu plano eterno e sua misericórdia, pois se o homem comesse da árvore da vida, passaria a ser imortal como os anjos e não teria possibilidade de redenção, permanecendo sob a ira de Deus eternamente.

Logo após a expulsão do homem Deus promete a vinda do redentor, Ele coloca inimizade entre a mulher e o demônio e promete o seu descendente, que é o Cristo.

Gênesis 3,15: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”.

Na queda de Adão todos os homens caem, por isto o apóstolo exorta os cristãos à humildade, pois todos os que foram chamados por Deus eram pecadores que só mereciam a sua ira e foram lavados no sangue do Cordeiro pela misericórdia de Deus.

Isto é motivo de extrema humildade e agradecimento pela salvação que provém unicamente de Deus, pois todos os que foram salvos já andaram na prática da iniquidade.

Efésios 2,3: “Entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais”.

O apóstolo Paulo afirma que o salário do pecado é a morte, mas Deus perdoa seus escolhidos em Cristo de forma irresistível, irrecusável e eterna, todos os que recebem a salvação, recebem-na de forma definitiva por toda a eternidade.

João 10,28: “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão”.

Deus não pode mudar, ele é eterno e imutável, é impossível para Deus amar uma pessoa que Ele odiou, da mesma forma, é impossível para Deus odiar uma pessoa que ele amou, uma ovelha nasce ovelha e morre ovelha, um bode nasce bode e morre bode.

Efésios 1,4-5: “Assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade”.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
Última atualização em Seg, 14 de Novembro de 2011 05:47  

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 713 Livros
  • Este site tem um total de 1649 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646