Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo O Novo Nascimento

O Novo Nascimento

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER – pergunta 29

 

PERGUNTA 29: Como nos tornamos participantes da redenção adquirida por Cristo? Resposta: Tornamo-nos participantes da redenção adquirida por Cristo pela eficaz aplicação dela a nós pelo Seu Santo Espírito.

Esta resposta nos ensina com clareza e decisão a doutrina da eterna predestinação de homens e anjos. Notem, novamente, que ela exclui de forma definitiva qualquer participação do homem em sua própria salvação.

Isaías 45,9: “Ai daquele que contende com o seu Criador! E não passa de um caco de barro entre outros cacos. Acaso, dirá o barro ao que lhe dá forma: Que fazes? Ou: A tua obra não tem alça”.

A manutenção da ordem universal pressupõe uma série de acontecimentos previamente determinados, caso contrário esta ordem seria impossível. Deus tem um propósito definido com referência à existência e destino de tudo quanto criou.

Esta ordem universal inclui em um sistema único a finalidade principal e os meios secundários e contingentes para execução de seu plano eterno, ou seja, como será feito.

Tito 3,5-6: “Não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador”.

O homem é justificado pela redenção adquirida por Cristo, nenhum homem será salvo por sua justiça, e nenhum homem tem a capacidade de decidir pela sua própria salvação, somente Deus pode aplicar, através do Espírito, a redenção adquirida por Cristo.

João 1,12-13: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”.

Pode-se observar neste verso: “Deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus” - ou seja - este poder é dado, é gratuito, não foi conquistado, não foi merecido, não foi comprado, esta é a obra da graça de Deus, e finalmente, a próxima afirmação é definitiva:

Não nasceram do sangue, nem da vontade da carne nem da vontade do homem, mas de Deus”.

Ninguém recebe a salvação pela sua própria vontade ou pelos seus próprios méritos, mas pela vontade de Deus, como podemos confirmar neste próximo verso em Efésios.

Efésios 2,8: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus”.

Esta promessa está presente na criação do homem, quando Deus expulsa Adão e Eva do paraíso, neste mesmo ato Ele promete o redentor. A descendência da mulher neste verso é Jesus Cristo, que irá esmagar a cabeça da serpente, que é Satanás.

Gênesis 3,15: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”.

Ainda no Velho Testamento, Deus revela em Oséias o seu amor imerecido ao seu povo, vemos neste verso que a misericórdia de Deus tem origem nele mesmo, sendo que Ele aplica esta salvação de forma unilateral e incondicional naqueles pecadores justificados.

Oséias 14,4: “Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei, porque a minha ira se apartou deles”.

Continuando no Velho Testamento, Deus revela pelo profeta Ezequiel como isto será feito, podemos ver aqui uma analogia perfeita com a pergunta e resposta em estudo:

Ezequiel 36, 26-27: “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis”.

A. A. Hodge: “Deus é justo. Todos os homens são pecadores, ou seja, estão debaixo de condenação. Portanto, nenhum homem pode ser justificado baseado no seu caráter ou conduta, visto que pecadores não podem satisfazer a justiça. Mas o que eles não podem fazer, Cristo fez por eles, trazendo retidão eterna, a qual possui todas as exigências da lei. Todo aquele que Deus justifica e salva, renuncia à sua própria justiça, e confia unicamente na justiça de Cristo”.

A justificação do pecador no tempo é conhecida como: “o novo nascimento”. Este nascimento caracteriza uma nova vida, que não é uma figura de linguagem, mas um nascimento tão real que pode ser chamado de “primeira ressurreição”.

Apocalipse 20,6: “Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos”.

Quem precisa nascer de novo? Vamos buscar nossa resposta nos ensinamento de Jesus.

Quando Jesus passou por Samaria, ele encontrou na beira de um poço, uma mulher samaritana, esta mulher já havia tido cinco maridos, e naquele momento vivia com outro homem que não era seu marido, vejamos o que Jesus diz a ela:

João 4,16-18: “Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade”.

O novo nascimento – a mulher samaritana.

Jesus não diz a esta mulher samaritana que precisava nascer de novo, a quem Jesus disse isto? A um homem digno, que levava uma vida de alto padrão moral, era estudioso da Lei de Deus e observava todos os preceitos e ordenanças da religião judaica: Nicodemus.

João 3,7: “Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo”.

Pela queda todos pecaram e tem uma natureza corrompida, incapaz de fazer o bem, todo ser humano precisa nascer de novo, o homem é incapaz de cooperar ou decidir pela sua salvação, o novo nascimento é obra de Deus somente, sem participação do homem.

João 3,9-10: “Então, lhe perguntou Nicodemos: Como pode suceder isto? Acudiu Jesus: Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas?”.

Jesus não diz a Nicodemus o que ele deve fazer para nascer de novo, pois sendo mestre em Israel ele deveria conhecer os ensinamentos dos profetas, os religiosos judeus haviam abandonado a Escritura, mas os profetas falaram claramente a este respeito:

Vejamos o que dizem os profetas:

Isaías 43,25: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro”.

Jeremias 23,3: “Eu mesmo recolherei o restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; serão fecundas e se multiplicarão”.

Ezequiel 11,19: “Dar-lhes-ei um só coração, espírito novo porei dentro deles; tirarei da sua carne o coração de pedra e lhes darei coração de carne”.

Este ensinamento permeia por toda a bíblia, como nos exemplos em Ezequiel, Isaías e Jeremias acima e muitos outros que deveriam ser lembrados por Nicodemos.

Jonas 2,9: “Mas, com a voz do agradecimento, eu te oferecerei sacrifício; o que votei pagarei. Ao SENHOR pertence a salvação!”.

As pessoas vêem o novo nascimento de forma completamente distorcida, e concluem que podem aceitar ou rejeitar sua salvação, mas esse entendimento está totalmente errado, ninguém conquista sua salvação por seu mérito ou justiça própria.

Somente a justiça perfeita de Cristo salva, mas ele não veio chamar justos, somente pecadores, os que se consideram justos deverão salvar a si mesmos de outra forma.

Mateus 9,13: “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos; pois não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento”.

Mas então, vocês irão perguntar: qual o lado prático do ensino? O que fazer?

Um bebê não pode gerar a si mesmo, não pode escolher seus pais, sua condição ou seu local de nascimento, da mesma forma, aquele que irá receber o novo nascimento é como um bebê, nada pode fazer de si mesmo para nascer novamente.

Pare de tentar fazer de você mesmo uma nova criatura, somente Deus, em Cristo, pode fazer esta obra maravilhosa em você, esqueça seu mérito e confie apenas em Cristo.

João 1,13: “Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”.

O novo nascimento não se manifesta por sinais físicos, quem nasce do alto começará sua nova vida exatamente como um bebê recém-nascido, a primeira coisa que fará é chorar, o bebê sai do escuro do ventre de sua mãe e vê a luz pela primeira vez, ele chora.

No caso do homem, ele compreende que é pecador e merece o julgamento e a ira de Deus, ele sofre, ele se desespera, este é o novo nascimento, vejamos o exemplo de Paulo.

Atos 26,14: “E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões”.

Que mais diz Jesus a respeito deste novo nascimento de Paulo?

Atos 9,16: “Pois eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo meu nome”.

Você continua achando que será salvo por levar uma vida de alto padrão moral a vista dos homens? Acredita na justiça perfeita de Cristo somente ou continua acreditando em sua justiça própria em alguma medida?

Jesus não admite meio termo, ou entrega sua vida totalmente a ele ou confia em algo próprio de você, não existe meio termo.

Lucas 11,23: “Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha”.

Conclusão: Todos entram neste mundo com uma natureza pecaminosa, independente do modo de vida que levam, alguns, porém, irão deixar este mundo com uma natureza regenerada pela obra única do Espírito Santo, procedente do Pai e do Filho.

Tire sua confiança do seu ego e deposite na justiça perfeita de Cristo, humilhe-se diante dele, confesse que é pecador, peça perdão por seus pecados, estes são sinais claros do novo nascimento, você consegue fazer isto? Louvado seja Deus!

2 Coríntios 5,17: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
 

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 713 Livros
  • Este site tem um total de 1649 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646