Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo Bençãos após a morte

Bençãos após a morte

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER – PERGUNTAS 37 e 38

PERGUNTA 37: Quais são as bênçãos que os fiéis recebem de Cristo na hora da morte? RESPOSTA: As almas dos fiéis, na hora da morte, são aperfeiçoadas em santidade, e entram imediatamente na glória; e os corpos descansam na sepultura até a ressurreição.

A morte física:

Depois da morte, os corpos dos homens retornam ao pó e vêem a corrupção, mas, todo o homem recebe de Deus, em sua concepção, uma alma imortal, as almas, que não morrem nem dormem, voltam imediatamente para Deus que as deu.

4 – Eclesiastes 12,7: “E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu”.

O aperfeiçoamento em santidade:

As almas separadas do corpo, pela morte física, dirigem-se imediatamente ao seu destino final, as almas dos pecadores regenerados, sendo então santificadas, são recebidas no céu, onde contemplam a face de Deus.

O aperfeiçoamento em santidade é outro ato judicial de Deus, quando as almas são declaradas perfeitas pela justiça de Cristo, estas almas não são aperfeiçoadas pelos méritos do crente, mas pela obra de Cristo, por isto esta santidade é perfeita e eterna.

Lucas 16,22-23: “Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado. No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio”.

Esta glória dos filhos de Deus é tanto mais sublime, quando comparada ao destino dos ímpios, o inferno de fogo é um lugar de tormento eterno, de punição meramente vindicativa de Deus, sem intenção ou possibilidade de recuperação.

Ninguém será justificado após a morte, todas as oportunidades de salvação ocorrem durante a vida terrena, depois da morte o estado das almas é imediato e definitivo.

Lucas 23,43: “Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”.

A doutrina do inferno:

Tanto o céu, como o inferno foram criados por Deus para manifestação de sua glória no Dia do Juízo, não é lícito ao cristão demonstrar sentimento de reprovação pelo inferno.

Tudo que Deus faz ou cria é justo por definição: o bem e o mal, o céu e o inferno, a paz e a guerra, todas as coisas são criadas por Deus para realização do seu plano eterno.

Isaías 45,7: “Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas”.

O estado intermediário:

Não existe, após a morte, a possibilidade de mudança, nem a possibilidade das almas se deslocarem entre o céu, o inferno e a terra, todas as almas, após a morte encontram-se em seu estado final, definitivo e consciente.

Lucas 16,26: “E, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós”.

A morte física consiste na separação do corpo e da alma, de forma que o corpo se corrompe, mas a alma volta imediatamente a Deus, dirigindo-se a seu destino final: a alma dos eleitos para o céu e a dos réprobos ao castigo infindável no inferno.

Neste estado, chamado intermediário, a alma já está na glória, mas não completamente realizada, pois aguarda a segunda vinda de Cristo, quando os corpos serão ressuscitados e unidos novamente com suas respectivas almas para o julgamento final.

1 Coríntios 15,52: “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”.

Os que estiverem vivos no último dia não morrerão, mas serão transformados de forma imediata; todos os mortos serão ressuscitados em seus próprios corpos e não outros, ainda que, com qualidades desconhecidas por nós, e ficarão unidos às suas almas para sempre.

1 Tessalonicenses 4,16: “Depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor”.

Corpos transformados:

Ninguém sabe dizer, como serão os corpos transformados, os cristãos ressurretos receberão corpos espirituais e estarão então livres dos pecados. A identidade de cada um será mantida e preservada conforme a personalidade própria da pessoa.

Os filhos de Deus estarão preservados para sempre por Cristo.

1 Coríntios 15,44: “Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual”.

PERGUNTA 38: Quais são as bênçãos que os fieis recebem de Cristo na ressurreição? RESPOSTA: No dia do Juízo, os fieis, serão ressuscitados em glória e publicamente reconhecidos e absolvidos, permanecendo completamente felizes na presença de Deus.

A ressurreição do corpo:

Após a morte, o corpo se decompõe, mas no Dia do Juízo este mesmo corpo ressurge transformado, sendo que a identidade de cada pessoa será preservada para que ela se submeta ao juízo como um ser único e responsável diante do Cordeiro.

Daniel 12,2: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno”.

Pelo poder de Cristo os corpos serão ressuscitados pelo seu Espírito, os injustos para a desonra, os que foram feitos justos pela obra de Cristo, para a honra e para serem semelhantes ao próprio corpo glorificado de Cristo.

1 – João 5,28-29: “Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo”.

O Juízo final:

Haverá um dia do juízo para toda a humanidade, todos os que existiram em todos os tempos. Conforme o apóstolo Paulo, os mortos serão ressuscitados primeiro e os que estiverem vivos neste dia serão transformados e revestidos de imortalidade.

Todos se apresentarão para o julgamento, os eleitos para a glória junto a Cristo e os réprobos para a ignomínia e o castigo infindável no fogo do inferno. Não existirá a partir de então jovens e velhos, todos serão estáveis e imortais, tanto justos como condenados.

Apocalipse 20,14-15: “Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo”.

Os símbolos do VT prefiguram o Cristo vindouro, a páscoa judaica tipifica o Dia do Juízo, neste dia, o Anjo de Deus passou sobre o seu povo, sinalizado com o sangue do cordeiro, sem dano, mas, destruiu os primogênitos do Egito, alvos da ira de Deus.

Da mesma forma, todos os que são justificados no sangue do Cordeiro não passam pelo juízo, pois foram salvos pela justiça perfeita de Cristo, sobre a qual não cabe julgamento.

Êxodo 12,12: “Porque, naquela noite, passarei pela terra do Egito e ferirei na terra do Egito todos os primogênitos, desde os homens até aos animais; executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o SENHOR”.

O SENHOR, que é o Cristo, fala na primeira pessoa: (EU) ferirei todos os primogênitos. Vê-se por aí, que o castigo dos réprobos é executado ativamente por Cristo, a destruição dos ímpios é uma punição tão ativa de Deus, tanto quanto a salvação dos eleitos.

O céu:

Ninguém sabe descrever como é o céu, pelas afirmações bíblicas é correto pensar no céu como um lugar, mas ninguém sabe como e onde será este lugar, Jesus afirma que na casa de seu Pai há muitas moradas, esta é a esperança do crente: as promessas de Jesus.

Temos na bíblia algumas descrições do céu, algumas feitas por apóstolos que foram levados ao céu durante sua vida, a primeira do apóstolo Paulo:

2 Coríntios 12,2-4: “Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) e sei que o tal homem (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir”.

Temos também o testemunho do apóstolo João, que foi levado ao céu para receber a revelação de Jesus Cristo – o Apocalipse:

Apocalipse 22,1: “Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro”.

Existem ainda mais algumas afirmações bíblicas que devem ser levadas em consideração, uma delas está no livro do Apocalipse, onde podemos ver que não existirá sofrimento:

Apocalipse 7,17: “Pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima”.

O céu será algo surpreendente, acima de qualquer coisa que conhecemos na terra ou em nossa imaginação. A Escritura afirma que olhos não viram, ouvidos não ouviram e em coração humano jamais penetrou o que Deus tem reservado àqueles a quem ama

1 Coríntios 2,9: “Mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”.

Especulações: O que vimos até aqui é referido estritamente às revelações bíblicas. Procurar coisas não reveladas na Escritura é especulação, isto deve ser evitado a todo custo, não se deve tentar descobrir coisas relativas ao que irá acontecer nos últimos dias.

Deuteronômio 29,29: “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei”.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
Última atualização em Seg, 10 de Outubro de 2011 05:48  

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 717 Livros
  • Este site tem um total de 1653 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646