Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo A Regra da Obediência

A Regra da Obediência

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER – PERGUNTA 40

PERGUNTA 40: Que revelou Deus primeiramente ao homem para regra de sua obediência? RESPOSTA: A regra que Deus revelou primeiramente ao homem para sua obediência foi a lei moral.

O que é a lei? A lei é aquilo que obriga a consciência e impõe obrigação moral em todas as suas exigências, no caso da lei de Deus, como obrigação para toda a humanidade, no caso das leis dos homens, dentro das limitações políticas, históricas e geográficas.

Em qualquer dos casos a lei representa uma série de regras estabelecidas de forma autoritativa, por um poder acima de todas as coisas a ele submetidas, a fim de ordenar, regular e direcionar o relacionamento das pessoas entre si e com este poder estabelecido.

 

Êxodo 16,28: “Então, disse o SENHOR a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?”.

Deste modo, o cumprimento da lei não depende da capacidade, liberdade ou conhecimento das pessoas a ela submetidas, mas à simples existência da lei e de um poder capaz de legislar e julgar os infratores.

Os animais irracionais agem por instinto, eles não tem noção de moralidade, bondade ou maldade em seus atos, não conseguem imaginar a presença de um ser superior através das obras da natureza, mas agem por instinto ou necessidade.

Deus trouxe o homem ao mundo como uma criatura moral, esta foi a razão do estabelecimento da lei, mas, todos os pactos estabelecidos em forma de lei ou obras vieram somente demonstrar a total incapacidade do homem para cumprir a lei de Deus.

O estabelecimento da lei nunca visou a salvação, pois no caso de Adão e Eva eles não tinham pecado, mas através da lei eles vieram a conhecer o pecado, a praticá-lo e a sofrer o castigo devido além de propagar os efeitos catastróficos da queda à toda humanidade.

Romanos 3,20: “Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado”.

O princípio da lei é o mesmo eternamente: a perfeita obediência. A lei serviu para mostrar a fragilidade e incompetência do homem, qual então, a utilidade da lei? A finalidade da lei foi conduzir a história para uma nova aliança firmada na justiça de Cristo.

Gálatas 3,24-25: “De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio”.

A lei de Deus é universal: a validade universal da lei de Deus provém da natureza e do ser perfeito do Criador, portanto a lei dada por Deus é obrigatória para todos os homens em todos os tempos e em todos os lugares independente da aceitação ou conhecimento.

Deuteronômio 11,1: “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, e todos os dias guardarás os seus preceitos, os seus estatutos, os seus juízos e os seus mandamentos”.

A tradição, autoridade ou justiça proveniente de governos ou religiões não se sobrepõe em nenhuma hipótese à lei preconizada na Escritura, a obediência do cristão às leis civis, militares, políticas ou religiosas é sempre limitada aos preceitos revelados na Escritura.

Atos 5,29: “Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens”.

A lei moral obriga todos a lhe prestar obediência para sempre, o cumprimento da lei de Deus não pressupõe a liberdade do homem, mas a simples existência da lei. Cristo não desfaz a lei, antes, cumpre de forma perfeita toda a lei moral em lugar dos filhos de Deus.

Mateus 5,18: “Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra

A lei civil e cerimonial: A leis cerimoniais e civis do Velho Testamento foram ordenadas por Deus, mas tiveram utilidade somente no período desde Moisés até Cristo, no Novo Testamento estas leis foram abolidas. A lei moral, porém, permanece eternamente.

A lei moral (os dez mandamentos): Embora os cristãos não estejam debaixo da lei para serem por ela justificados ou condenados, ela serve, de forma obrigatória, como regra de vida e manifesta a vontade de Deus e as obrigações para com Ele.

Esta lei moral foi resumida por Jesus no NT em dois grandes mandamentos:

Mateus 37-39: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

O cumprimento da lei em Cristo:

A redenção foi realizada pelo Verbo encarnado, que através de uma vida de obediência perfeita, cumpriu todas as exigências da lei, que seriam devidas pelo seu povo, desta forma, Cristo cumpriu rigorosamente toda a lei em lugar daqueles destinados à salvação.

Filipenses 2,8: “A si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz”.

Isso não significa que a lei moral perdeu a validade, o cristão deve colocar esta lei como uma norma de vida, impossível na sua perfeição, mas procurada com sinceridade.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
 

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 717 Livros
  • Este site tem um total de 1653 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646