Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo O Prefácio dos Mandamentos - O poder de Deus - rev 2012

O Prefácio dos Mandamentos - O poder de Deus - rev 2012

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER – PERGUNTA 43 e 44

PERGUNTA 43: Qual é o prefácio dos dez mandamentos? RESPOSTA: O prefácio dos dez mandamentos é: “Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão”.

PERGUNTA 44: Que nos ensina o prefácio dos dez mandamentos? RESPOSTA: O prefácio dos dez mandamentos ensina-nos que nós temos obrigação de guardar todos os mandamentos de Deus, por ser Ele o Senhor nosso Deus e Redentor.

Êxodo 20,2: “Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão”.

“EU SOU” o SENHOR: Este nome, YAHWEH, denota a existência de Deus como um Ser pessoal e transcendente, que o distingue dos deuses da antiguidade, aqui ele se apresenta como o único Deus vivo e verdadeiro que existe por si mesmo de forma eterna e imutável.

Êxodo 3,14: “Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU (YAHWEH) me enviou a vós outros”.

Eu sou o Senhor, teu Deus: Esta é uma declaração de autoridade sobre a qual repousam todos os dez mandamentos. A soberania de Deus é um fato consumado sobre toda a criação, espiritual, material e biofísica, mas sobre seu povo estas palavras introdutórias representam, de forma autoritativa, a exigência legal de que obedecessem aos mandamentos.

Deuteronômio 6,4: “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR”.

Nesta afirmação Deus é colocado por Moisés não apenas como Senhor, mas de maneira enfática: o único Senhor, pois nosso Deus é Deus zeloso que não dá a outrem a sua glória.

Deuteronômio 4,24: “Porque o SENHOR, teu Deus, é fogo que consome, é Deus zeloso”.

Os dez mandamentos não implicam que nós temos a habilidade moral de cumpri-los. Os mandamentos de Deus sevem para arrancar a confiança em nossa própria capacidade de tal forma que nos voltemos a Cristo com humildade.

Romanos 3,19-20: “Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado”.

Apesar desta incapacidade, ter os mandamentos como norma de vida não deve ser penoso ao cristão, pois, sendo Deus o Redentor, Ele os comprou em Cristo, libertou-os do pecado e pagou um alto preço por isto: o sangue de seu Filho amado.

1 Coríntios 7,23: “Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens”.

O filho de Deus, reconhecendo sua incapacidade e esperando na misericórdia e poder de Deus, sente prazer em seguir os seus mandamentos, imperfeitamente nesta vida, mas com toda a sinceridade, reconhecendo nisto a graça do redentor e não a capacidade do homem.

Efésios 2,5: “E estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente
com Cristo, — pela graça sois salvos”.

A lição que provém deste conhecimento é que Deus é o único Redentor, desde a eternidade, esta lição não é para o povo judeu, mas para os cristãos, Deus sempre foi o único Redentor para o seu povo, e isto, de forma individual, para cada um que ele chama em Cristo.

Jó 19,25: “Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra”.

A Casa da Servidão: A retirada do povo hebreu do Egito foi realizada exclusivamente pelo poder de Deus, nada proveniente do povo interferiu nesta libertação; da mesma forma é a salvação em Cristo, esta salvação do homem é provida totalmente pela divindade.

Salmo 100,3: “Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio”.

Qual a servidão referida neste prefácio? É a servidão do pecado, todos os descendentes de Adão estão sob o domínio do pecado. Neste prefácio Deus chama o Egito de “casa da servidão”, ali os hebreus estavam sob deuses estranhos e sob o jugo cruel dos Egípcios.

Êxodo 1,14: “E lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro, e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o serviço em que na tirania os serviam”.

Esta é uma metáfora para a servidão do homem natural, o homem natural está na casa da servidão, não mais do Egito, mas do pecado, assim como Deus libertou os hebreus do Egito, hoje Ele liberta seu povo, os verdadeiros cristãos, da servidão do pecado.

Efésios 2,1: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados”.

O livramento do cristão: Este livramento do cristão é espiritual, o crente que antes era escravo do pecado, inimigo de Deus e amante do mundo, pela graça de Deus em Cristo, passa a desejar o conhecimento de Deus e amar a Palavra com todas as suas forças.

Oséias 4,6: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento...”.

O cristão verdadeiro reconhece sua obrigação com a lei de Deus, e também sua incapacidade para ser perfeito, mas tenta com sinceridade e com todas suas forças confiando somente no poder e na misericórdia de Deus em Cristo.

Louvado seja Deus!

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
Última atualização em Ter, 15 de Maio de 2012 03:41  

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 717 Livros
  • Este site tem um total de 1653 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646