Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo Segundo Mandamento - A proibição da idolatria - Rev. 2012

Segundo Mandamento - A proibição da idolatria - Rev. 2012

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER – PERGUNTA 49 a 52

PERGUNTA 49: Qual é o segundo mandamento?

RESPOSTA: O segundo mandamento é: “Não farás para ti imagem de escultura, nem figura alguma de tudo que há em cima no Céu, e do que há embaixo na terra, nem de coisa alguma que haja nas águas, debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor teu Deus, o Deus zeloso, que vinga a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem; e que usa de misericórdia com milhares daqueles que me amam e que guardam os meus preceitos”.

Jeremias 3,9: “Sucedeu que, pelo ruidoso da sua prostituição, poluiu ela a terra; porque adulterou, adorando pedras e árvores”.

Esta pergunta manda receber o verdadeiro culto e reconhecê-lo como obrigação, pois Deus é zeloso de seu culto, todavia, esta obrigação tem sido desprezada na moderna igreja de Cristo, pois os religiosos afirmam poder adorar a Deus da forma que quiserem através das sensações e experiências pessoais, desprezando o conhecimento bíblico.

Mateus 22,29: “Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”.

A idolatria: ou seja, a adoração de ídolos. A idolatria é um tema frequente nas escrituras, apesar do absurdo e da irracionalidade este mal persiste nos dias atuais. Veremos a seguir as formas de idolatria que podemos qualificar como: pelas imagens ou pelos sentimentos.

Êxodo 20,4-6 (RC): “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam os meus mandamentos”.

Êxodo 20,6 (NKJV – tradução literal): “Mas, mostrando misericórdia para milhares, para aqueles que me amam e guardam meus mandamentos”.

O que Deus diz neste mandamento e que está de acordo com a resposta desta questão é que Ele faz misericórdia de forma abundante àqueles que amam a Deus e guardam seus preceitos, ou seja, adotam a Escritura como norma de vida e fé.

Apocalipse 1,3: “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo”.

Se os pais são salvos, isto não quer dizer que os filhos também serão salvos, se o filho de é ímpio, ele irá sofrer o castigo eterno. Da mesma forma, a visitação da iniquidade dos pais nos filhos, refere-se aos filhos ímpios, quando o descendente de pais ímpios se converte e segue os preceitos divinos ele certamente já foi abençoado por Deus.

Jeremias 31,29: “Naqueles dias, já não dirão: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram”.

É importante notar esta diferença, pois muitas pessoas religiosas usam esta passagem para estabelecer a maldição hereditária, o que é negado pelo sentido geral da Escritura como podemos ver nos livros dos profetas Jeremias e Ezequiel a respeito deste tema.

Ezequiel 18,2: “Que tendes vós, vós que, acerca da terra de Israel, proferis este provérbio, dizendo: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram?”.

Calvino – Institutas, Volume II: “No entanto, nada impede que a descendência dos ímpios por vezes se volte à prática do bem e a descendência dos fiéis degenere, pois aqui não quis o Legislador fixar uma regra perpétua que anulasse sua eleição”.

PERGUNTA 50: Que exige o segundo mandamento? RESPOSTA: O segundo mandamento exige que recebamos, observemos e guardemos puros e inteiros todo o culto e ordenanças religiosas que Deus instituiu na sua Palavra.

O primeiro mandamento nos ensina a respeito do único objeto do culto: Deus. Esta resposta traz o aspecto positivo deste mandamento, que consiste em como fazer esta adoração de modo correto. Esta adoração deve ser feita através das ordenanças e preceitos bíblicos. Voltamos aqui, à necessidade do conhecimento de Deus em primeiro lugar.

Marcos 12,24: “Respondeu-lhes Jesus: Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?”.

O segundo mandamento preconiza receber, guardar e zelar pelo culto religioso conforme estabelecido por Deus, exatamente de acordo com a Escritura: a leitura bíblica, a pregação, a oração, a administração correta dos sacramentos e a disciplina na igreja.

Atos 2,42: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações”.

O conhecimento de Deus tem que vir antes da adoração, pois, caso contrário, ninguém sabe quem está adorando, serão como selvagens cultuando as forças da natureza. O conhecimento de Deus se processa de uma única forma: pela Escritura.

Pela pregação - Romanos 10,17: “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”.

Pelo estudo – João 5,39: “Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim”.

PERGUNTA 51: Que proíbe o segundo mandamento? RESPOSTA: O segundo mandamento proíbe o adorar a Deus por meio de imagens, ou de qualquer outra maneira não prescrita na sua Palavra.

Imagens: em primeiro lugar não podemos representar Deus ou as coisas do mundo espiritual por intermédio de imagens, esculturas ou quaisquer tipos de objetos materiais, como figas, crucifixos, estrelas, pés de coelho etc.

Esta é uma forma crassa de idolatria, porém extremamente difundida em todo o mundo.

2 Coríntios 11,3: “Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo”.

Sentimentos - Onde estão todos os ídolos? Os ídolos estão hoje mais presentes do que nunca, a avareza é tida como qualidade, a esperteza, a dureza no coração e o amor ao dinheiro são cada vez mais presentes e os homens buscam desesperadamente a honra entre os homens, relegando a Palavra como contra-senso às necessidades da vida atual.

1 Samuel 8,3: “Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele; antes, se inclinaram à avareza, e aceitaram subornos, e perverteram o direito”.

A idolatria não é uma busca inocente pelo divino; a idolatria é o afastamento deliberado da revelação de Deus. Estes são os ídolos atuais: o emprego, o poder em todas as formas, o orgulho, o prestígio, as preocupações exageradas e o maior de todos os ídolos: o ego.

É preciso esclarecer que a riqueza, em si mesma, não é um pecado, a bíblia ensina que todos os homens devem trabalhar com dedicação, almejando sempre o progresso e o melhor para si e para os seus, o que Jesus condena é a confiança no poder da riqueza.

Marcos 10,23-24: “Então, Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas! Os discípulos estranharam estas palavras; mas Jesus insistiu em dizer-lhes: Filhos, quão difícil é para os que confiam nas riquezas entrar no reino de Deus!”.

O Estado como ídolo: Vemos hoje a instituição do Estado como o detentor de todas as benesses possíveis, o homem não é mais incentivado a trabalhar, mas a confiar no Estado, basta observar a porcentagem de propaganda institucional na TV: O Estado é Deus!

Marcos 12,17: “Disse-lhes, então, Jesus: Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. E muito se admiraram dele”.

A ciência: outro ídolo atual é a ciência, não importa o que seja - fato comprovado ou mera teoria - tudo o que é apresentado como científico tem a aceitação pública imediata.

Qual é o maior de todos os ídolos? A natureza corrompida do homem é representada pelo ego, o ego luta para que o Eu seja valorizado acima de todas as coisas. A carne que briga contra o Espírito é uma atitude de oposição a Deus: o ego torna a vontade suprema.

Romanos 7,19: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço”.

O ego - o primeiro ídolo: no jardim do Éden não tinha imagens, não tinha dinheiro, não existia o Estado, não existia a ciência, não existiam necessidades pessoais, o que Adão tinha? Tinha dentro de si o seu ego, ele queria ser como Deus, a serpente não usou de muitos argumentos para tentar a Adão, ela foi direto ao ponto: “como Deus, sereis...”

1 - O pecado original - Gênesis 3,5: “Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal”.

PERGUNTA 52: Quais são as razões anexas ao segundo mandamento? RESPOSTA: As razões anexas ao segundo mandamento são a soberania de Deus sobre nós, a sua propriedade em nós, e o zelo que Ele tem pelo seu culto.

Antes da fundação do mundo Deus deu a seu Filho um povo de sua escolha para receber a redenção, este povo é de propriedade de Deus e foi comprado pelo sangue sem mácula de Jesus, desta forma, este povo deve a Deus o reconhecimento de sua soberania.

1 Coríntios 7,23: “Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens”.

O culto agradável a Deus é firmemente baseado na Palavra, mas o evangelho de Cristo tornou-se ofensivo ao homem moderno, o cristianismo está sendo transformado em um compêndio de moralidade e comportamento social, a soberania de Deus foi esquecida.

A idolatria: a igreja não é mais voltada a Deus, o centro da religião cristã é o homem, o testemunho de Cristo foi substituído pelo exemplo do homem. Cada um cria um deus à sua vontade, conforme os desejos de seu coração. Todavia, cuidado! Existe um só Deus.

Marcos 12,29: “Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor!”.

Existe um só Cristo, um único e verdadeiro Deus. Não existe salvação no homem, o evangelho é o poder de Deus para a salvação, mas como adorar a Deus em Cristo?

Oséias 6,3: “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra”.

Jesus vai muito mais longe a respeito do conhecimento de Deus, ele nos diz que a vida eterna é o conhecimento de Deus. Você acredita em Jesus?

João 17,3: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
 

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 717 Livros
  • Este site tem um total de 1653 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646