Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Catecismo O que é o pecado?

O que é o pecado?

E-mail Imprimir PDF

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER - PERGUNTAS 14 e 15

PERGUNTA 14: Que é pecado? RESPOSTA: Pecado é qualquer falta de conformidade com a lei de Deus, ou qualquer transgressão desta lei.

O pecado não é somente a realização ativa de maus pensamentos, mas todo e qualquer pensamento ou intenção contrária à lei de Deus, o pecado não é somente o rompimento da lei, ativo ou passivo, mas é, também, uma quebra da relação do homem com Deus.

Tiago 2,10: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos”.

 

Este verso significa diretamente que nenhum homem em toda história da humanidade conseguiu guardar perfeitamente a lei, pois quem há que não tropece uma vez sequer?

Em Adão todos caíram, e depois disto o homem tornou-se corrompido e incapaz de fazer o bem ou agradar a Deus, todos são pecadores diante de um Deus irado.

Romanos 3,23: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”.

O pecado não deve ser visto somente na forma ativa ou consciente, ou seja, não peca apenas aquele que pratica o erro, mas todo aquele que deixa de fazer o bem, ou pior ainda, aquele que observa o erro e consente torna-se conivente com o pecado.

Estes pecados na forma passiva são muitas vezes mais graves que a prática direta, principalmente quando aquele que permite, ordena ou deixa de fazer é pessoa mais culta, graduada ou competente que o que pratica.

Tiago 4,17: “Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando”.

Existe particularmente um pecado passivo gravíssimo que é a negação do perdão, o perdão é um ato passivo, depende somente da pessoa ofendida, aquele que não perdoa deixou de fazer o bem de forma grave e receberá seu castigo por isso.

Mateus 6,12: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores”.

Isto não significa que o homem tem o poder de perdoar os pecados cometidos, somente Deus pode perdoar pecados, o perdão aqui referido é o poder de auto-controle e despreendimento, este é um dom do Espírito que deve ser exercitado pelo cristão.

Além disto, toda mágoa, ódio, inveja ou rancor devem ser banidos na vida do cristão, evitando rixas ou contendas e muito mais vingança ou retaliação.

Provérbios 20,3: “Honroso é para o homem o desviar-se de contendas, mas todo insensato se mete em rixas”.

O pecado e o pacto da graça:

A coisa mais importante para compreender o pecado é que ele não deve ser visto somente como a transgressão da lei, mas qualquer pecado é uma violação da relação com Deus.

1 João 3,4: “Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei”.

Jesus realmente viveu uma vida perfeita e morreu na cruz para sofrer o castigo em lugar dos escolhidos do Pai, e não resta ao homem sacrifício ou colaboração alguma na obra perfeita de Cristo, mas então o que pretende o apóstolo dizer neste verso?

O apóstolo vai muito além das atitudes, todo aquele que foi salvo em Cristo recebe o consolador, o Espírito de Deus que habita no crente e torna o seu coração para Deus, de forma que a lei de Deus passa a ser desejável e agradável para ele – o novo nascimento.

Romanos 8,11: “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita”.

O homem continua pecador por toda sua vida terrena, mas para o cristão em comunhão com o Espírito, o pecado, apesar de inevitável, passa a constranger e provocar tristeza.

Hebreus 10,16: “Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei”.

O QUE É O PECADO? A raiz de todo o pecado é o amor a si mesmo, o desejo e a determinação do homem natural em ser o dono da sua vida e de sua salvação, acreditando que elas sejam determinadas por sua capacidade e justiça própria.

O maior obstáculo para o relacionamento do homem com Deus é o ego: a negação de si mesmo é o primeiro passo para a comunhão com Deus, Cristo nos dá o exemplo, ele não agradou a si mesmo, mas subsistindo como Deus, assumiu a forma de servo.

Romanos 15,3: “Porque também Cristo não se agradou a si mesmo; antes, como está escrito: As injúrias dos que te ultrajavam caíram sobre mim”.

Esta negação da natureza humana corrompida, atribuindo o pecado a outros fatores, é uma constante na história da religião, vemos hoje nas modernas igrejas cristãs a busca incessante da perfeição humana em substituição à redenção adquirida por Cristo.

Romanos 1,25: “Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!”.

PERGUNTA 15: Qual foi o pecado pelo qual nossos primeiros pais caíram do estado em que foram criados? Resposta: O pecado pelo qual nossos primeiros pais caíram do estado em que foram criados foi o comerem do fruto proibido.

Deus colocou o homem para viver no Jardim do Éden, onde ele tinha tudo o que precisava para viver, ou... Quase tudo. Então ele recebeu uma ordem de Deus:

Gênesis 2,16-17: “E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”.

Como dissemos acima, o homem não era feliz, faltava a ele uma companheira.

Gênesis 2,22: “E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe”.

Mas, ainda assim, o homem ainda não era feliz, ansiava por algo que nem ele mesmo sabia, não queria viver pela justiça de Deus, ansiava por sua própria justiça.

Aproveitando-se deste fato, a serpente, que é Satanás, aproximou-se da mulher e a seduziu para desobedecer à ordem de Deus juntamente com Adão - a serpente falou:

Gênesis 3,5: “Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal”.

O pecado: “Como Deus, sereis...” - esta frase retiniu nos ouvidos do casal, a mulher, tomando o fruto comeu e ofereceu ao homem que também comeu. E, assim, o primeiro homem já se mostrava incapaz de obedecer às ordens e preceitos de Deus, e caiu.

Vemos nas palavras do profeta Oséias a confirmação da transmissão universal dos efeitos da queda: os Israelitas transgridem a aliança com Deus da mesma forma que Adão.

Oséias 6,7: “Mas eles transgrediram a aliança, como Adão; eles se portaram aleivosamente contra mim”.

O pecado real de Adão foi transgredir a aliança com Deus. Aqui em Oséias vemos a repetição deste pecado, a raiz de todo o pecado é o amor a si mesmo, todo homem quer comer o fruto proibido: colocar sua vontade acima da sabedoria e determinação de Deus.

2 Tessalonicenses 1,9: “Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder”.

O pecado de Adão e Eva é real e individual:

O pecado original é uma violação tão real da lei quanto os pecados individuais. Todos os pecados estão sujeitos à ira de Deus e ao castigo infindável no inferno. Somente a graça de Deus em Cristo salva o pecador da miséria espiritual e do castigo no inferno.

Romanos 11,32: “Porque Deus a todos encerrou na desobediência, a fim de usar de misericórdia para com todos”.

O Pecado universal:

Sendo Adão e Eva a origem de toda humanidade, a culpa dos seus pecados foi imputada aos seus descendentes; e a morte em pecado, bem como sua natureza corrompida foram transmitidas a toda a sua posteridade, que deles procede por geração ordinária.

Romanos 3,10-11: “Como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus”.

O pecado original é um mal herdado por toda a humanidade, mas não tem a amenidade de ser um pecado coletivo, ele grava cada um da espécie humana individualmente.

Além do pecado original, cada pessoa carrega sobre si o peso dos pecados atuais, os quais cometem no dia a dia, mesmo os regenerados em Cristo continuam a carregar o peso do pecado original e dos pecados factuais, que persistem em toda vida terrena do crente.

Romanos 5,12: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.

A queda e os pecados do dia a dia:

Desta corrupção original pela qual ficamos totalmente indispostos, adversos a todo o bem e inteiramente inclinados a todo mal, é que procedem todas as transgressões atuais.

Romanos 7,18: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo”.

A regeneração e a queda:

Esta corrupção da natureza persiste durante esta vida, mesmo naqueles que são regenerados; e, embora seja ela perdoada em Cristo, tanto esta corrupção da natureza, como os seus impulsos são real e propriamente pecado.

Romanos 7,14: “Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado”.

Não existe nenhum homem santo em toda a história, tanto no sentido de ser isento da mácula original, como isento da possibilidade de cometer pecado. A herança do pecado atinge todas as pessoas corrompe-os e gera tendências, pensamentos e atos pecaminosos.

1 João 1,10: “Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós”.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
Última atualização em Seg, 14 de Novembro de 2011 05:45  

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 717 Livros
  • Este site tem um total de 1653 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646