Vivendo Pela Palavra

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Home Comentários Bíblicos João 1,3 - J. Gill

João 1,3 - J. Gill

E-mail Imprimir PDF

JOÃO 1,3 – COMENTÁRIO JOHN GILL

João 1,3: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez”.

Não é por acaso que o evangelho inicia com a mesma frase de Gênesis: “No princípio”. Em Gênesis Moisés inicia a história da primeira criação; aqui, esta expressão “no princípio” inicia a história da nova criação em Cristo.

Nas duas obras de criação o agente é o Verbo de Deus – a Palavra. Nesta passagem a personificação é mais detalhada e mais circunstancial do que em qualquer outra da Bíblia. Mas podemos reconhecer nisto um desenvolvimento da concepção profética da palavra de Deus como mensageiro que cumpre sua missão sem falhar, como em Isaías abaixo:

Isaías 55,11: “Assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei”.

“No princípio”, portanto, quando o universo foi criado, o Verbo divino que o trouxe à existência já estava ali. E as palavras que seguem mostram que nosso evangelista não tem em mente uma mera personificação literária.

O “status” pessoal que João atribui ao Verbo tem a ver com existência real; a relação que o Verbo tem com Deus é de pessoa para pessoa: O Verbo estava com Deus - “Tudo o que Deus era, a Palava era” transmite o sentido da frase da melhor maneira que uma paráfrase pode fazê-lo.

João quer que todo o seu evangelho seja lido à luz deste versículo. As ações e palavras de Jesus são ações e palavras de Deus; se isto não for verdade, o livro é blasfemo.

Portanto, quando céu e terra foram criados, o Verbo de Deus estava lá, já existia em relação íntima com Deus e fazia parte da sua essência. Não importa até onde tentemos fazer voltar nossa imaginação, nunca alcançaremos um ponto em que poderemos dizer do Verbo divino, como Ário (*): “Houve um dia em que ele não era”.

(*) Arianismo: Heresia criada por Árius no início do quarto século, Árius era um religioso egípcio que afirmava que Jesus, mesmo sendo filho de Deus, não tem a mesma essência de Deus Pai. Sendo criado era uma divindade menor, de segunda ordem. Afirmava ainda que o Pai, o Filho e o Espírito Santo eram três substâncias diferentes, negando desta forma a Trindade Divina. O arianismo foi condenado no Primeiro Concilio de Nicéia em 325 A.C.

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy
 

Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: "Julgai todas as coisas, retende o que é bom". Louvado seja Deus!

  • Temos para download 713 Livros
  • Este site tem um total de 1649 itens publicados em Artigos

Adicionar aos Favoritos

Adicione aos Favoritos!

Estatísticas

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2017:
934.835
Total de páginas visitadas até setembro/2017:
2.405.646