Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

Mais baixados

Comentários Bíblicos

2 TIMÓTEO 1,12

2 TIMÓTEO 1,12 – COMENTÁRIOS

vivendopelapalavra.com

Por: Helio Clemente

 

2 Timóteo 1,12: “E, por isso, estou sofrendo estas coisas; todavia, não me envergonho, porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia”.

Todos estamos familiarizados com a expressão de Paulo neste verso:

“Sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia”.

Esta é uma manifestação de segurança notável e uma doxologia poderosa que não deixa margem à dúvidas quanto à fé que Paulo demonstra a Timóteo. Estruturalmente a tradução é bastante precisa e a sinceridade desta declaração não pode ser colocada em dúvida, pois muitas outras passagens a confirmam.

Vemos aqui, que o verbo “guardar” (phulasso) e o substantivo
“depósito” (paratheke) aparecem da mesma forma no verso 12 e no verso 14 deste capítulo e ainda em 1 Timóteo 6,20.

1 Timóteo 1,14: Guarda o bom depósito, mediante o Espírito Santo que habita em nós”.

1 Timóteo 6,20 (RC): “Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência”.

Este depósito não é algo que Paulo tenha confiado a alguém, mas algo que alguém lhe confiou. Não é o mesmo sentido que vemos nos versos de Pedro abaixo, onde os crentes encomendam suas almas a Deus.

1 Pedro 4,19: “Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem”.

O que é afinal este “depósito”? Este depósito é o evangelho, que Cristo confiou a Paulo, ele pode dizer que o depósito é dele porque Cristo o confiou, todavia, vemos claramente que Paulo não pretende conservar o evangelho por suas próprias forças, mas estava seguro que ele seria conservado por Cristo até o dia final, quando ele prestaria contas de sua mordomia.

Em que se baseava esta confiança segura de Paulo? Temos dito por várias vezes, que a fé cristã é racional e repousa sobre o conhecimento, é justamente isto que Paulo está dizendo neste verso: “Porque sei em quem tenho crido”. Ou seja: Eu o conheço!

Paulo confiava em Cristo porque o conhecia e estava seguro que ele é poderoso para guardar o evangelho até o último dia.

Paulo fala do evangelho com uma familiaridade notável, mas em nenhum momento ele está sugerindo que Cristo irá guardar o evangelho igualmente para todas as pessoas do mundo, o evangelho é para a salvação dos que foram destinados a isto, e para a perdição de outros que foram também destinados, esta é a segurança do evangelho.

2 Coríntios 4,3: “Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto”.

Quando Paulo foi chamado não foi prometido a ele prosperidade ou bem estar pessoal, ele sabia que grandes dificuldades, dissabores e sofrimentos o acompanhariam por toda a vida, por isto ele confia a Cristo a guarda do depósito.

Atos 9,16: “Pois eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo meu nome”.

Cristo guardará o depósito, mas Paulo agora está confiando a pregação fiel do evangelho a Timóteo e transmitindo a ele a mesma segurança que ele sempre teve.

2 Timóteo 4,2: “Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina”.

O que foi confiado a Paulo, e agora a Timóteo, é a pregação fiel do evangelho, a guarda do evangelho e o chamado do cristão é obra de Deus e não do homem, por isso Paulo afirma no verso 14:

“Guarda o bom depósito, mediante o Espírito Santo que habita em nós”.

A fidelidade é solicitada a Timóteo, mas esta fidelidade somente pode ser conseguida através do Espírito Santo, que habita no crente e opera nele a preservação da salvação. Todavia, isto não significa que o crente não deva perseverar e trabalhar no conhecimento e na obra de Deus, mas todos devem fazer o melhor de si mesmo em todas as áreas da vida, este é o dever do cristão.

Ora, se Paulo e Timóteo dependem da guarda de Cristo e da preservação do Espírito para proceder com fidelidade, que podemos dizer de nós mesmos?

Iremos confiar em nossos méritos ou entregar nosso depósito à guarda de Cristo? Pretendemos ser fiéis pela nossa justiça própria ou mediante o Espírito Santo?

A escolha, na verdade, é de quem foi escolhido, pois é Deus quem opera em nós o querer e o realizar conforme sua boa vontade.

Filipenses 2,13: “Porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade”.

 

Louvado seja Deus!

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário