Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até agosto de 2018:
1.027.377
Total de páginas visitadas até agosto 2018:
2.623.764

Mais Baixados

Escritura

A ESCRITURA

A ESCRITURA – SPURGEON

OSÉIAS 8,12: “Escrevi para eles as grandezas da minha lei; mas isso é para eles como coisa estranha”.

Vejamos em detalhes o que representa este verso, Deus está falando aos israelitas a respeito da Escritura. Esta é uma queixa de Deus contra Israel que serve perfeitamente aos dias de hoje, sejam os homens religiosos ou não, poucos deles devotam a correta e completa devoção à bíblia como sendo a palavra revelada de Deus.

Porque Deus faz esta queixa? Porque ele conhece as profundezas do homem, ele observa e conhece cada pensamento, cada idéia muito antes da ação prevista, nenhum pardal, nenhum verme escapa da onisciência de Deus, todos estamos nus diante de Deus, nada que o homem pense ou deseje está fora do controle de Deus.

Salmo 139,7-8: “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também”.

Hoje iremos apresentar três coisas a respeito da bíblia que este verso nos revela:

Primeiro, quem é o autor da Escritura.

Segundo, o que está ali revelado.

Terceiro, como os homens consideram esta revelação.

A primeira coisa: Quem é o autor da Escritura? (Eu) Escrevi para eles…

Analisando a minha bíblia, vejo que os primeiros cinco livros foram escritos por Moisés, muitos dos salmos foram escritos por Davi, depois disto temos vários profetas, Isaías, Jeremias, Oséias e muitos outros, mas, será que todos estes autores podem reivindicar a si mesmos estes livros que escreveram? A própria bíblia revela que não, o autor da Escritura é o próprio Deus através do Espírito Santo.

2 Pedro 1,20-21: “Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”.

Da mesma forma como Deus escreveu as tábuas da lei com seu próprio “dedo” ele usou a pena de Moisés na composição dos primeiros livros da bíblia, ele usou a harpa de Davi na composição dos salmos, ele moveu os lábios de Salomão nos seus poemas de amor.

Deus fala através da sabedoria de Isaías, do furor de Naum, da precisão histórica de Lucas, da tranquilidade de João, das maldições de Pedro e Judas contra os inimigos de Deus, ele nos fala dos tempos do fim no livro do Apocalipse, enfim, toda a bíblia é a Palavra de Deus, como diz acima o apóstolo Pedro: “Homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”.

Quando ouvimos a bíblia ouvimos a voz de Deus e não do homem, quando lemos a bíblia lemos as palavras de Deus e não do homem, os assuntos tratados na bíblia estão infinitamente acima da mente humana, quem poderia escrever sobre a doutrina da criação a três mil e quinhentos anos atrás, totalmente contra toda a mitologia existente, a partir do que? Baseado em que?

Gênesis 1,1: “No princípio, criou Deus os céus e a terra”.

Nenhum ser humano jamais poderia ter sequer imaginado a doutrina da Trindade, o Deus que é uma essência e três naturezas distintas e pessoais, mas, ao mesmo tempo um só Deus?

Mateus 28,19: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

Quem poderia jamais ter imaginado o plano de salvação de Deus? Nenhuma outra religião em todo o mundo jamais ousou imaginar o Deus triúno da Escritura, o próprio Deus encarnado se dispondo a prover a salvação do homem.

Mateus 1,23: “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)”.

Todavia, o autor da Escritura é o todo-poderoso, Ele se revela a quem quiser revelar, todo aquele que não é de Deus não houve as palavras de Deus, ou seja, não respeita a revelação que provém unicamente da sua Palavra – a bíblia sagrada.

João 8,47: “Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus”.

Muita gente imagina a bíblia como um livro cifrado e cheio de segredos que devem ser desvendados pelo intelecto ou pela imaginação humana, alguns unem fragmentos esparsos da bíblia através de numerologia esperando descobrir revelações além da clara intenção das palavras escritas, outros dividem a bíblia em partes distintas com interpretações mirabolantes, outros ainda negam a historicidade da bíblia dizendo tratar-se apenas de um livro de fé, e por aí vai, todas estas pessoas acreditam no que sua imaginação deseja e não levam a sério as palavras de Deus.

Gálatas 1,8: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema”.

Eu mesmo naveguei no oceano tempestuoso do livre pensamento, uma mente poderosa que não acreditava em nada, muito menos na Palavra de Deus, comecei a duvidar de tudo, da minha própria existência, da realidade do mundo: não seria tudo uma ilusão da mente?

E avançava nos meus pensamentos com base apenas na minha imaginação, cheguei às margens da loucura, mas em um determinado momento, a extravagância das dúvidas mostraram o absurdo de tudo isto, hoje, não tenho dúvida alguma que este despertar foi um chamado de Deus.

Ele poderia perfeitamente ter me deixado na minha desgraça, vítima de minha própria imaginação, Ele não tinha obrigação nenhuma comigo, mas, nem sempre tem um mas, mas não foi assim, Ele me mostrou a sua misericórdia livrando-me de meus próprios pensamentos, livrando-me de mim mesmo.

Romanos 9,16: “Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia”.

Comecei então a enxergar a realidade quando fui despertado desta morte, Deus poderia ter condenado a minha alma e destruído meu corpo, mas, não foi assim, ele não somente me tirou deste delírio como colocou em minha mão a maior dádiva que um homem pode receber, o conhecimento de Deus.

Este conhecimento revela que só existe um caminho entre Deus e o homem, Jesus, quem procura muitos caminhos acaba se perdendo no meio deles, por isto Deus nos revela um único caminho, não existe nada além disto.

João 14,6 : “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”.

Segundo ponto – As grandezas da minha lei: Esta queixa de Deus é dirigida ao povo de Israel em tempos antigos, mas as grandezas da lei foram reveladas em sua mais perfeita forma a dois mil anos atrás, toda a lei apontava sempre para um ideal superior: Jesus, o Deus encarnado, perfeito homem e perfeito Deus foi a revelação definitiva de Deus, não haverá novas revelações.

Efésios 1,9-10: “Desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra”.

Isto não significa, porém, que basta acreditar em Cristo, e bingo! Você está salvo. Em qual Jesus você acredita? Em um homem piedoso? Em um grande mestre? Em um homem altamente desenvolvido espiritualmente?

Nenhuma destas pessoas é o Jesus da bíblia, o Jesus da bíblia é Emanuel, Deus conosco, ele é o Verbo de Deus encarnado, perfeito Deus e perfeito homem, o único mediador entre Deus e o homem, quem acredita em outro Jesus desonra a Deus e traz condenação e ignomínia para si mesmo.

Nem todos que falam em nome de Cristo serão salvos, pelo contrário, aos falsos religiosos estão reservados os maiores castigos, eles nunca foram conhecidos por Jesus.

Mateus 7,21: “Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade”.

Vemos neste verso que nem todo o que fala em nome de Jesus estará salvo, mas somente aqueles que fazem a vontade de Deus exatamente conforme definidas na Escritura, Deus não aceitará de forma alguma, louvor, adoração ou orações feitas em desacordo com os seus preceitos.

Uma vez que Deus nos deu a sua palavra escrita, nossa imaginação perde a validade, todas as coisas referentes a Deus devem ser feitas pelos preceitos estabelecidos na escritura, a ela nada poderá ser acrescentado ou retirado em qualquer tempo, todos aqueles que se atrevem a modificar a Escritura, estarão apenas trazendo maldição para si e para aqueles que o seguem.

Gálatas 1,9: “Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema”.

Talvez seja rude, ou mesmo grosseiro, mas está escrito, e se isto não bastar, temos mais alguma coisa no mesmo nível:

Apocalipse 22,18-19: “Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; e, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro”.

Terceiro ponto – Mas isso é para eles como coisa estranha: O que significa a Bíblia ser considerada como uma coisa estranha? Em primeiro lugar, quer dizer que nunca a lêem. Mesmo pessoas que se dizem cristãs professas e se julgam religiosos, raramente lêem a bíblia e muito poucos a leram inteiramente. A grande maioria dos religiosos considera a leitura bíblica árida e desinteressante, preferem buscar a um deus de sua imaginação, conforme suas sensações e experiências.

Todavia, estes pobres religiosos que desprezam a bíblia, jamais conhecerão o verdadeiro Deus, a Escritura tem a autoridade do próprio Deus, muitas vezes, a Escritura traz a autoridade de Deus, como podemos ver no verso abaixo.

Romanos 9,17: “Porque a Escritura diz a Faraó: Para isto mesmo te levantei, para mostrar em ti o meu poder e para que o meu nome seja anunciado por toda a terra”.

Esta é uma passagem que tem uma profundidade histórica relevante, a dinastia dos faraós que haviam enaltecido a José e aos hebreus no Egito durante quatrocentos anos, havia sido derrotada, um novo faraó de origem nativa havia sido levantado por Deus, por isto está escrito: Para isto mesmo te levantei.

Deus usa as ações de homens ímpios e demônios para cumprir os seus propósitos que são eternos e fogem à nossa compreensão, para isto ele levantou um novo faraó que dominou aquela dinastia amiga dos hebreus. Mas a Escritura vai além e declara explicitamente o propósito de Deus: para mostrar em ti o meu poder.

E não para por aí, temos neste verso declarado uma primeira ação de Deus, levantando um faraó cruel que iria oprimir o povo hebreu, depois o propósito, e por último, a finalidade de todas estas coisas: para que o meu nome seja anunciado por toda a terra.

Estas palavras de Deus são dirigidas àqueles que se dizem cristãos, mas não apenas desconhecem a palavra de Deus como julgam desnecessário conhecê-la. Uma advertência: Se você não tem tempo para Deus é hora de começar a pensar que Deus não tem tempo para você, acorde, pois a hora vem mais rápido que pensamos e depois desta vida, acabaram as oportunidades, só resta o juízo final.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário