Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2018:
1.035.642
Total de páginas visitadas até outubro 2018:
2.647.499

Mais Baixados

Outros

A NATUREZA DA IGREJA – HODGE

A DOUTRINA PROTESTANTE DA NATUREZA DA IGREJA CHARLES HODGE

vivendopelapalavra.com

Tradução, versos bíblicos (RA) e revisão livre: Helio Clemente

Os protestantes afirmam acerca deste tema, ao contrário da igreja romana, em exato acordo com a doutrina de Cristo e dos apóstolos, que:

– Que a igreja, como tal, em sua natureza essencial não é uma organização externa.

– Todos os verdadeiros crentes, em que habita o Espírito de Deus, e somente estes, são os membros daquela igreja que é o corpo de Cristo, sem importar a qual denominação pertençam, e ainda, incluindo muitos que não tenham conexão com denominação ou religião alguma.

O ladrão na cruz foi salvo sem ter ligação com nenhuma igreja local (externa), sem ter recebido nenhum sacramento e sem penitência alguma.

Lucas 23,43: “Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”.

– Desta forma, os atributos, as prerrogativas e promessas da igreja não pertencem a nenhuma denominação religiosa como tal, mas somente ao verdadeiro povo de Deus considerado coletivamente. A igreja, como sociedade externa, somente faz parte da igreja de Cristo onde ela consiste de verdadeiros crentes e estejam controladas por eles.

Mateus 21,44: “Todo o que cair sobre esta pedra ficará em pedaços; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó”.

Por estas afirmações somente se diz o que toda a pessoa admitirá como certo: Que os atributos, promessas e prerrogativas que pertencem aos cristãos, pertencem exclusivamente aos verdadeiros cristãos e não aos falsos religiosos mundanos que se intitulam a si mesmos “cristãos”.

– Que a condição de membresia da verdadeira igreja não é união com nenhuma denominação ou sociedade organizada, mas somente a fé em Jesus Cristo. Os membros da igreja são filhos de Deus pela fé em Cristo: São filhos de Abraão, herdeiros da promessa de redenção que foi dada pela fé somente, podendo tratar-se de judeus, gentios, escravos, livres, podendo ser protestantes, católicos, episcopais, presbiterianos, batistas, pentecostais e outros que estejam tão dispersos que nem dois ou três deles possam se reunir para adorar.

Colossenses 3,11: “No qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos”.

Os protestantes não negam que esta igreja seja universal (católica) e visível na terra, consistindo de todos os que professam a verdadeira religião cristã e seus filhos, mas não fazem parte obrigatoriamente de nenhuma sociedade externa.

Também admitem que é dever dos cristãos reunir-se com o propósito de oferecer adoração e de mútua vigilância e cuidado uns com os outros. Admitem, também, que a tais associações ou sociedades (denominações) pertencem certas prerrogativas relativas à igreja local, que devem ter seus oficiais cujas qualificações e deveres estão prescritos na Escritura, que sempre tem havido e sempre haverá tais organizações cristãs ou igrejas visíveis (ou locais).

Todavia, os protestantes negam que qualquer destas sociedades, ou todas elas coletivamente, constituam a igreja pela qual Cristo morreu, em que habita o seu Espírito e à qual ele prometeu perpetuidade, universalidade, unidade e condução divina para o conhecimento da verdade.

Qualquer uma destas igrejas, uma após outra, pode apostatar da verdadeira fé (como tem acontecido ao longo destes séculos), mas todas as promessas de Deus à sua igreja devem, sem embargo, ser cumpridas. A igreja não fracassou quando Deus reservou para si mesmo somente sete mil em todo o Israel, que não tinham dobrado seus joelhos a Baal.

Reis 19,18: “Também conservei em Israel sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que o não beijou”.

A doutrina de que um homem se torna filho de Deus e herdeiro da vida eterna por meio da membresia de uma sociedade externa transforma os fundamentos do evangelho e introduz uma nova forma de salvação fora de Cristo.

João 14,6: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário