Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até setembro de 2018:
1.031.328
Total de páginas visitadas até setembro 2018:
2.632.612

Mais Baixados

Escritura

A SUFICIÊNCIA DA ESCRITURA – KYLE BAKER


A Suficiência da Escritura
Kyle Baker
Tradução: Felipe Sabino de AraújoNeto / felipe@monergismo.com
O ponto de partida para buscar a Deus e entender a nós mesmos deve ser a Palavra de Deus, a Bíblia.
2Tm. 3:16-17: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”.
A primeira declaração de Paulo aqui é extremamente importante: a Escritura é inspirada por Deus. A frase “inspirada por Deus” significa literalmente “soprada por Deus”. Temos disponível na Bíblia a verdadeira Palavra de Deus, como se ele estivesse falando audivelmente essas mesmas palavras. Antes de avaliar nossas crenças a respeito de Deus, deveríamos primeiro avaliar nossas crenças com respeito a essa declaração de Paulo. Se cremos verdadeiramente que a Bíblia é a Palavra de Deus, então devemos crer que tudo encontrado nela é verdadeiro. Deveríamos ser também estimulados a aprender tudo que está na Bíblia, assim como ficaríamos se sentássemos diante de Deus e ouvíssemo-lo falar.
Algumas pessoas crêem que podemos aprender a verdade examinando nosso meio-ambiente através dos nossos sentidos. Os cientistas modernos crêem nisso. Eles formam teorias, testam essas teorias, e então concluem que a teoria original deles é falsa ou verdadeira. Contudo, há um problema maior com esse tipo de “descoberta” da verdade, que é chamado de “raciocínio indutivo”. Um exemplo pode provar ser benéfico:
1. Os cientistas observam que sempre que chove, a rua fica molhada.
2. Certo dia um cientista olha para fora do seu escritório e observa que a rua está molhada.
3. O cientista conclui que choveu.
Isso é verdade? Não necessariamente – o que dizer se houve um vazamento num hidrante, ou um carro de irrigação deixou a rua molhada? Há várias razões pelas quais a rua poderia estar molhada, mas o cientista faz uma suposição devido a um raciocínio indutivo. Esse problema é verdade para TODA ciência. Observações são feitas e conclusões extraídas usando-se raciocínio defeituoso.
Se há uma constante na ciência, essa é a mudança, e isso pode ser provado pela história. Há poucas teorias, se alguma, que de 1500 pra cá ainda são entendidas como sendo verdadeiras. O mesmo será verdadeiro em outros 500 anos. Os cientistas “descobrirão” novas coisas, chegarão a novas teorias e mudarão as antigas.
De modo inverso, a Escritura é o que é chamado de “revelação proposicional”.
Isso significa que Deus REVELOU a verdade na Escritura. Imagine se o cientista tivesse saído pra fora e seu vizinho gritasse para ele: “Um caminhão de bombeiro apagou um fogo, de forma que a rua ficoumolhada”. O cientista não teria a necessidade de vasculhar uma lista gigantesca de causas POSSÍVEIS para a rua estar molhada (com a mui real possibilidade dele nunca poder chegar à causa correta). Ele teria a VERDADE REVELADAbem ali diante dele. Isso é exatamente o que temos na Palavra de Deus. Não precisamos nos perguntar o que é a verdade, visto que Deus já nos revelou.
Paulo vai adiante e diz que pela Escritura estamos “habilitados para toda boa obra” – note o TODA em sua declaração. A Escritura, e a Escritura somente, nos habilita para toda e qualquer boa obra. Então, o que significa uma pessoa não ter a Escritura ou não crer na Bíblia? De acordo com Paulo, que tal pessoa não pode ter nenhuma boa obra.
Como aprendemos a partir da Escritura? É somente pelo Espírito Santo, que nos capacita a aprender a verdade revelada por Deus. Vejamos o que Paulo diz sobre esse assunto:
1Co. 2:6-14: “Entretanto, expomos sabedoria entre os experimentados; não, porém, a sabedoria deste século, nem a dos poderosos desta época, que se reduzem a nada; mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória; sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da glória; mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”.
Isso é uma linguagem muito clara. Observe, em primeiro lugar, que Paulo fala de um mistério que “nenhum dos poderosos deste século conheceu”. Os poderosos aqui não são somente reis e governadores, mas todos os poderosos, incluindo os poderosos “intelectuais” tais como filósofos e cientistas. Em todo esforço deles para encontrar conhecimento, eles não entendem a VERDADE, visto que Deus não lhes revelou(1) a mesma.
Além do mais, vemos que “nem olhos viram” – isso indica que não aprendemos com nossos olhos. “Nem ouvidos ouviram” – isso indica que não aprendemos com nossos ouvidos. “Nem jamais penetrou em coração humano” – isso indica que não encontramos a verdade examinando nossos corações (tal como na meditação budista ou coisas semelhantes). Pelo contrário, “Deus no-lo revelou pelo Espírito”. Deus revela o mistério do evangelho somente através do Espírito Santo usando a Escritura! A última frase para qual deveríamos chamar a atenção é que “o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus”. O “homem natural” é um homem que não foi regenerado; cuja mente não foi renovada e tornada capaz de aceitar a verdade da parte de Deus (Rm. 8:7; Tt. 3:5; Rm. 12:2).
Deus revelou certa quantia de conhecimento de si mesmo a todo homem, mas o homem suprime esse conhecimento por causa do seu pecado. Todo e qualquer homem será considerado responsável se negar a verdade.
Rm. 1:18-20: “A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis”.
Então, a obrigação de todo ser humano, sem exceção, é ler a Escritura e orar para que Deus lhe revele sua verdade pelo Espírito. Sabemos que a verdade se encontra na Escritura e sabemos que somente Deus pode fazer com que a entendamos.
Fonte (original): http://www.bornfromabove.com/

1 Sem a obra regeneradora do Espírito Santo, o homem não entende nem crê na revelação já contida na Escritura. É nesse sentido que o autor está falando de revelar aqui. (Nota do tradutor)

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário