Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até março de 2019:
1.066.209
Total de páginas visitadas até março 2019:
2.789.891

Mais Baixados

Natureza de Deus

A VONTADE DE DEUS

A VONTADE DE DEUS

Por: Helio Clemente

 

A VONTADE DE DEUS É ÚNICA E IRRESISTÍVEL, TUDO O QUE ELE DETERMINOU SERÁ REALIZADO

A soberania de Deus se manifesta através de sua vontade e poder, a vontade de Deus é um atributo próprio de sua natureza, assim como a santidade, a onipotência ou a onisciência, ela existe de forma completa e imutável eternamente no Ser de Deus e se manifesta aos homens ao longo do tempo conforme os Decretos Eternos que se realizam pelas obras da providência.

A vontade de Deus:

Várias ações são apresentadas na bíblia para expressar a vontade de Deus, que se manifesta de várias formas na Escritura, seguem abaixo alguns exemplos:

– A causa primeira e última de todas as coisas e acontecimentos no universo:

Salmo 135,6: “Tudo quanto aprouve ao SENHOR, ele o fez, nos céus e na terra, no mar e em todos os abismos”.

– A única causa ou motivação para a salvação ou reprovação de anjos e homens:

Romanos 9,15-16: “Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia”.

– A determinação da morte de Cristo:

Atos 2,23: “Sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos”.

A vontade de Deus expressa o produto da sua natureza e de todos os seus atributos na determinação dos Decretos Eternos, sendo a soberania e autoridade da vontade divina procedentes do poder infinito e absoluto de Deus.

Desta forma a vontade de Deus é soberana e todos os seus planos e determinações procedem única e exclusivamente de sua vontade, sem interferência alguma de suas criaturas ou de nada que exista no universo material, biofísico ou espiritual.

A liberdade da vontade de Deus:

Como foi visto acima, a vontade de Deus é sempre conforme o seu Ser e sua natureza, o que se traduz na mais plena liberdade e independência desta vontade. Sua vontade é completamente livre de qualquer influência externa, procedente das criaturas ou da natureza.

Tendo sua origem na eternidade, a vontade de Deus é completamente livre das contingências resultantes do decorrer do tempo. Não se deve confundir a liberdade da vontade de Deus com indiferença, da mesma forma como não se deve confundir a imutabilidade e impassionalidade de Deus com imobilidade.

A vontade de Deus é regida por seu conhecimento e sabedoria, que são perfeitos, e é sustentada pelo poder infinito de autodeterminação eterna de todas as coisas, bem ou mal, que apesar de não serem todas boas aos olhos do homens, são necessárias e perfeitamente adequadas à universalidade do plano de Deus.

Agostinho (Confissões): “E que por isso ele não quer ora isto, ora aquilo, mas quer o que sempre quis, simultaneamente e para sempre. Sua vontade não se exerce repetidas vezes, não se propõe a ora esta, ora aquela finalidade, não quer o que antes não queria, nem deixa de querer o que antes queria, uma vez que tal vontade seria mutável, e o que é mutável não é eterno; ora, nosso Deus é eterno”.

Por tudo o que foi dito, fica claro que não é lícito ou permitido às criaturas procurar fundamento ou razão para a vontade e os decretos de Deus fora de seu próprio Ser, pois Ele é perfeito e não existe nenhum padrão de moral, bondade ou justiça acima do Ser de Deus pelo qual Ele possa ser julgado ou contestado.

A primeira criatura a contestar a vontade de Deus foi Lúcifer, veja abaixo os versos de Isaías referentes a este fato:

Isaías 14,12-15: “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo”.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário