Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até agosto de 2018:
1.027.377
Total de páginas visitadas até agosto 2018:
2.623.764

Mais Baixados

Escatologia

APOCALIPSE 1,10 – GILL

APOCALIPSE 1,10 – JOHN GILL

vivendopelapalavra.com

Versos acrescentados (RA) por: Helio Clemente

Apocalipse 1,10: “Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta”.

Achei-me em espírito no dia do Senhor: Não no sábado judaico, que estava agora abolido, nem nunca foi chamado dia do Senhor; e se João quisesse dizer isso, ele teria dito no dia de sábado; muito menos a Páscoa judaica, mas o primeiro dia da semana é concebido aqui, de modo que a versão Etíope verte “no primeiro dia”, e é assim chamado apenas assim como a ordenança da ceia é chamada Ceia do Senhor, por ser instituída pelo Senhor e da mesa do Senhor, e isso porque foi o dia em que nosso Senhor ressuscitou dentre os mortos.

Marcos 16,9: “Havendo ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demônios”.

At 20: 7,

Este era o dia em que as igrejas primitivas separavam para o culto e serviço, e em que eles se encontravam para ouvir a palavra, e assistir as ordenanças e Justino Mártir, que viveu cerca de cinquenta anos após este tempo, nos diz que, no dia chamado “Domingo” (pelos gregos), os cristãos se reuniam em um lugar, e liam as Escrituras, e oravam juntos, e administravam a ordenança da Ceia, e isso, acrescenta ele (Justino), foi o primeiro dia em que Deus criou o mundo, e nosso Salvador Jesus Cristo ressuscitou dos mortos.

Atos 20,7: “No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo, que devia seguir viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite”.

Barnabé, o companheiro do Apóstolo Paulo, chama esse dia de oitavo dia, em distinção do sábado, o sétimo dia dos judeus, e que ele diz, é o começo de um outro mundo, e por isso mantemos o oitavo dia, acrescenta ele, com alegria, em que Jesus ressuscitou dos mortos, e sendo manifestado, ascendeu ao céu, e este dia era conhecido pelos antigos pelo nome de “dia do Senhor”, como por Inácio, Irineu, Tertuliano, Orígenes e outros; por isso deve ser algum dia que era conhecido por esse nome, caso contrário, ele seria mencionado sem propósito, porque não seria distinto dos outros, razão pela qual não pode apenas designar o dia em que João viu nesta visão, porque o Senhor apareceu para ele, pois isso não o distinguiria de qualquer outro dia.

Alguns especulam que este não era o dia do Senhor semanal observado pelos cristãos, mas o aniversário da ressurreição de Cristo, e assim a versão Etíope ainda chama de “Schambatah Crostos,” no sábado de Cristo: para compreendê-lo o primeiro é melhor. Agora, porém, João foi levado a casa e adoração a Deus, e não poderia participar com os santos no culto público naquele dia; ele ainda estava empregado na contemplação espiritual e exercícios, e estava sob uma influência mais comum do Espírito de Deus, e seu espírito, ou alma, estava totalmente sobre isso, e tomado com o divino e as coisas espirituais, com visões e representações que foram feitas à sua mente, que ele percebeu em seu espírito, e não com os órgãos de seu corpo; ele estava em um êxtase de espírito, e não sabia se ele estava no corpo ou fora dele.

E ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta: Que era a voz do Filho de Deus, como parece pelo que proferiu; e depois é dito como sendo o som de muitas águas, e estava atrás dele, veio a ele de surpresa, e surpreendeu-o, enquanto ele estava em profunda meditação sobre as coisas espirituais, e era muito “grande”, era a voz de uma grande pessoa, do Filho de Deus, e expressou grandes coisas, e era muito sonora e alta, era como o som de uma trombeta, e esta era, em parte, para despertar a atenção de João para Ele, e em parte, para manifestar a certeza em relação ao que ele disse; se tivesse sido uma voz baixa, murmurando, poderia ser questionado se João interpretou corretamente, e se ele não pode estar enganado no relato que ouviu; mas quer seja tão alto e claro, não há espaço para essa dúvida.

Apocalipse 1,12-14: “Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro. A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo”.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário