Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até setembro de 2018:
1.031.328
Total de páginas visitadas até setembro 2018:
2.632.612

Mais Baixados

Comentários Bíblicos

DANIEL 2,1 – CALVINO

DANIEL 2,1 – CALVINO

vivendopelapalavra.com

Revisão por: Helio Clemente

 

Daniel 2,1: “No segundo ano do reinado de Nabucodonosor, teve este um sonho; o seu espírito se perturbou, e passou-se-lhe o sono”.

Essa visão ocorre “no segundo ano do reinado de Nabucodonosor”
(603 d.C.). Nesse capítulo, Daniel interpreta um sonho do Rei Nabucodonosor. É importante observar que Daniel tinha aparentemente experimentado o mesmo sonho  ou visão, pois ele primeiro diz ao rei o conteúdo do sonho.

Daniel 2,31-36: “Tu, ó rei, estavas vendo, e eis aqui uma grande estátua; esta, que era imensa e de extraordinário esplendor, estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível. A cabeça era de fino ouro, o peito e os braços, de prata, o ventre e os quadris, de bronze; as pernas, de ferro, os pés, em parte, de ferro, em parte, de barro. Quando estavas olhando, uma pedra foi cortada sem auxílio de mãos, feriu a estátua nos pés de ferro e de barro e os esmiuçou. Então, foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a palha das eiras no estio, e o vento os levou, e deles não se viram mais vestígios. Mas a pedra que feriu a estátua se tornou em grande montanha, que encheu toda a terra. Este é o sonho; e também a sua interpretação diremos ao rei”.

Daniel 2,37-39: “Tu, ó rei, rei de reis, a quem o Deus do céu conferiu o reino, o poder, a força e a glória; a cujas mãos foram entregues os filhos dos homens, onde quer que eles habitem, e os animais do campo e as aves do céu, para que dominasses sobre todos eles, tu és a cabeça de ouro. Depois de ti, se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual terá domínio sobre toda a terra.

“Outro reino inferior ao seu”: Isso se refere aos medos e persas.

“Um terceiro reino de bronze”: Isso se refere à conquista do mundo por Alexandre o Grande, da Macedônia.

Daniel 2,40: “O quarto reino será forte como ferro; pois o ferro a tudo quebra e esmiúça; como o ferro quebra todas as coisas, assim ele fará em pedaços e esmiuçará”.

“O quarto reino”: Os sucessores de Alexandre, os reis da Síria e Egito, levantaram-se após a morte de Alexandre. Isso abrange o período greco-romano inteiro, incluindo o Império Romano. Até o tempo do nascimento de Cristo, o Império Romano foi praguejado por inúmeras  guerras civis.

Os estudiosos discordam aqui. O quarto reino inclui o tempo inteiro desde Alexandre até o governo dos dez reis, os imperadores romanos, que trouxeram a Pax Romana (“paz”) para o Império.

Daniel 2,41-43: “Quanto ao que viste dos pés e dos artelhos, em parte, de barro de oleiro e, em parte, de ferro, será esse um reino dividido; contudo, haverá nele alguma coisa da firmeza do ferro, pois que viste o ferro misturado com barro de lodo. Como os artelhos dos pés eram, em parte, de ferro e, em parte, de barro, assim, por uma parte, o reino será forte e, por outra, será frágil. Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão mediante casamento, mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro”.

Isso se refere ao poder militar do Império Romano, que causou uma união forçada de todas as nações do mundo, incluindo as nações da Judéia e Samaria.

“Mediante casamento”: Os judeus, no tempo do Império Romano, que foram misturados com o poder militar de ferro do Império, mas não ficaram plenamente sob o domínio de César.

Daniel 2,44: “Mas, nos dias destes reis, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos estes reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre”.

“Nos dias desses reis”: Simplificando, nos dias do Império Romano. Naquele tempo, o reino de Deus seria trazido à Terra por Jesus Cristo, e nunca seria destruído, mas guerrearia contra os reinos deste mundo e eles se tornariam parte do reino de Deus e do Seu Cristo.

Apocalipse 11,15: “O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos”.

A questão respondida por esse versículo é quando Deus levantará um reino sobre a Terra:

“Nos dias destes reis”: Ele levantará o Seu reino “nos dias desses reis”.

Lucas começa o seu Evangelho com um relato do nascimento de Jesus, que aconteceu nos dias de Cesar Augusto:

Lucas 2,1: “Naqueles dias, foi publicado um decreto de César Augusto, convocando toda a população do império para recensear-se”.

O começo do ministério de Cristo foi “no ano quinze do império de Tibério  César”.

Lucas 3,1: “No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, Herodes, tetrarca da Galiléia, seu irmão Filipe, tetrarca da região da Ituréia e Traconites, e Lisânias, tetrarca de Abilene”.

Quando Cristo e o reino de Deus chegaram à Terra?

“Nos dias desses reis”.

Daniel 2,45: “Como viste que do monte foi cortada uma pedra, sem auxílio de mãos, e ela esmiuçou o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro. O Grande Deus fez saber ao rei o que há de ser futuramente. Certo é o sonho, e fiel, a sua interpretação”.

“Como viste”: Que do monte  foi cortada uma pedra, sem auxílio de mãos, e ela esmiuçou o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro; o grande Deus fez saber ao rei o que há de ser depois disto. Certo é o sonho, e fiel a sua

interpretação.

“Uma pedra, sem auxílio de mãos”: Isso não se refere a Jesus o Messias, como muitos futuristas têm imaginado. Mas é declarado de forma clara que a pedra é o reino de Deus. Esse reino apareceu nos dias do Império Romano na vinda de Cristo.

Daniel foi recompensado por contar corretamente o sonho e dar a interpretação.  Como José no cativeiro, o rei fez de Daniel o governante sobre a Babilônica e seus amigos hebreus: Sadraque, Mesaque e Abedenego se tornaram governantes sobre as províncias da Babilônia.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário