Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até novembro de 2018:
1.040.321
Total de páginas visitadas até novembro 2018:
2.664.026

Mais Baixados

Teológicos

ELEIÇÃO – J. C. RYLE

“A verdadeira doutrina da eleição é a seguinte. Deus se agradou em escolher alguns homens e mulheres para serem salvos por Jesus Cristo, através seu conselho, que nos é secreto. Ninguém é salvo, a não ser aqueles que são escolhidos. Por essa razão, as escrituras chamam o povo de Deus, em várias passagens, de ‘eleitos de Deus’ e a escolha dessas pessoas para a vida eterna de ‘eleição de Deus’. Esses homens e mulheres escolhidos por Deus para toda a eternidade são chamados pelo Espírito Santo, no tempo devido. Ele os convence do pecado. Ele os guia a Cristo. Ele trabalha para que se arrependam e tenham fé. Ele os converte, renova e santifica. Ele os mantém, pela sua graça, de cair na perdição e, finalmente, traz a todos para a glória, salvos. Resumindo, a eleição de Deus é o primeiro elo na salvação do pecador, cujo fim é a glória celeste. Portanto, ninguém se arrepende, crê e nasce de novo, a não ser os eleitos. A causa principal e original para que um santo seja da forma que é, é justamente a eleição de Deus.”
J. C. Ryle

 

“Sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus” I Ts 1: 4.
“Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição” 2 Pe 1: 10.
Os versículos que encabeçam esse tratado possuem uma palavra muito peculiar. Essa palavra permeia a mente e a língua humana, de uma costa a outra da Grã Bretanha. Esta palavra é “eleição”.
São poucos os ingleses que desconhecem a ideia geral de eleição ao Parlamento. São muitos os infortúnios que surgem em tempos como esses e paixões iníquas são evocadas. Disputas antigas são desenterradas e outras mais são criadas; promessas são feitas apenas para serem quebradas; declarações falsas, mentiras, entorpecimento, intimidação, opressão e bajulação abundam em todos os lados. Em nenhum outro momento o ser humana faz um papel tão ridículo de si mesmo quanto nas eleições!

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário