Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2018:
1.035.642
Total de páginas visitadas até outubro 2018:
2.647.499

Mais Baixados

Escritura

EXAMINAI AS ESCRITURAS

EXAMINAI AS ESCRITURAS

João 5,39: “Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.

A Bíblia consiste nos sessenta e seis livros do Antigo e Novo Testamento. Eles foram produzidos por inspiração divina, unidos e preservados pela providência de Deus, de forma que operam em conjunto e são mencionados com uma única obra.

Marcos 12,24: “Respondeu-lhes Jesus: Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?”.

A Bíblia é a revelação verbal de Deus, é a sua voz. Todas as palavras da Bíblia foram inspiradas diretamente por Deus, Ele determinou que os homens registrassem as palavras exatas que determinou usar para comunicar seus pensamentos. Toda a bíblia é a respeito de Jesus Cristo, do livro do Gênesis até o Apocalípse, tudo na bíblia aponta e tipifica Cristo como o redentor e salvador de seu povo: todos os eleitos de Deus em todos os tempos da história, ninguém jamais foi ou será salvo à parte do sacrifício perfeito e infinito de Cristo.

João 14,6: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”.

A palavra é um símbolo, e um símbolo pode representar uma ideia ou um conjunto de ideias. Portanto, a linguagem humana é suficiente para comunicar qualquer coisa procedente de Deus ou referente a ele. Qualquer limitação no entendimento da bíblia procede da incapacidade humana de pensar ou processar as ideias comunicadas por Deus. Pelo fato de Deus ter criado o homem à sua imagem, o homem, apesar da queda, conta com a capacidade de pensar ou processar corretamente as ideias comunicadas por Deus, vindo a conhecer, desta forma, a verdade, que é a Palavra de Deus.

João 8,32: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.

A Escritura é uma unidade consistente, cada documento é integralmente coerente, e todos os documentos concordam entre si. Ela não contém contradições lógicas, paradoxos ou mistérios reais ou aparentes. Todos os mistérios e profecias do Velho Testamento são revelados em Cristo, a percepção de uma aparente contradição bíblica significa que se trata apenas de uma ilusão ou má interpretação, uma falsa percepção da mente humana, e não de uma característica do texto.

Romanos 3,4: “De maneira nenhuma! Seja Deus verdadeiro, e mentiroso, todo homem, segundo está escrito: Para seres justificado nas tuas palavras e venhas a vencer quando fores julgado”.

A Escritura é infalível e inerrante, da mesma forma como Deus não mente nem erra, a Bíblia, cujas palavras são as próprias palavras de Deus, não mente nem erra. A Bíblia não pode conter, nem contém, erros, quer em relação a questões espirituais, históricas ou de outra natureza. Ela está certa em todas as suas afirmações e inferências.

A pessoa que considera qualquer porção da Escritura falível ou errada não tem motivo para se dizer cristã. Depois de ser repreendida, admoestada e advertida, caso não se arrependa deve ser afastada da congregação para que não propague falsas doutrinas e por intermédio de seu erro venha a tropeçar o irmão mais fraco.

Mateus 18,6: “Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar”.

A Escritura detém autoridade, ela é mais que um instrumento, é a própria voz de Deus. Sua autoridade é idêntica à autoridade de Deus. Não há diferença entre um pronunciamento de Deus e um pronunciamento da Bíblia, e não há diferença entre a obediência a Deus e a obediência à Bíblia. Crer em um e lhe obedecer equivale a crer no outro e obedecer-lhe.

Romanos 9,17: “Porque a Escritura diz a Faraó: Para isto mesmo te levantei, para mostrar em ti o meu poder e para que o meu nome seja anunciado por toda a terra”.

A Escritura, de forma geral, é clara e de fácil entendimento, ela comunica sua mensagem com eficiência a todos os tipos de homens em tempos e culturas diferentes. Ela se caracteriza pelo fundamento da simplicidade de pensamento e linguagem, de tal forma que é possível a qualquer pessoa com capacidades básicas, sem o auxílio de outros homens, aprender, através da leitura ou pregação, os princípios básicos e fundamentais da fé cristã, incluindo-se o conhecimento necessário e suficiente para a salvação.

Todavia, como disse Lutero, a pregação só chega até os ouvidos do homem, o caminho até a mente é percorrido apenas pela operação do Espírito, por isso, homens de grande cultura e preparo não conseguem entender as doutrinas bíblicas, ao passo que, pessoas de extrema simplicidade podem compreender as doutrinas básicas da Escritura.

Atos 16,14: “Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia”.

A Escritura é suficiente, ela contém a informação necessária à salvação, ao progresso espiritual e orientações pessoais, todo o necessário para alguém viver de forma plenamente agradável a Deus. Ela contém a informação necessária à visão do mundo conforme os preceitos de Deus, o conceito verdadeiro da realidade material e espiritual, do conhecimento, da ética e de outras questões.

Revelações extra-bíblicas, relatos de vida e experiências pessoais, sensações, visões e novas profecias, são inúteis e desnecessárias, todas as alegações concernentes a revelações extra-bíblicas devem ser testadas, e os falsos mestres afastados da igreja.

Gálatas 1,8: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema”.

A Escritura autentica a si mesma, ela se sustenta pela excelência e suficiência de seu conteúdo, e independe de outras comprovações ou promessas. O sistema de crença cristã recebe a Escritura como seu primeiro princípio inquestionável, a doutrina é baseada unicamente neste princípio e todo o restante do sistema se segue por meio de deduções lógicas a partir da própria Escritura. Este primeiro princípio prova verdadeiro por si mesmo, pois não existe nada antes dele que possa contestá-lo, e, desta forma, todas as proposições deduzidas dele, também são verdadeiras. Pelo fato de a Escritura ser verdadeira ela contradiz e condena todos os outros sistemas de pensamento, o que torna o ecumenismo, o sincretismo religioso e a convivência com falsas doutrinas na igreja inaceitável pela fé cristã.

2 Coríntios 6,14: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?”.

O cristianismo é a única religião onde a salvação do homem é provida unicamente por Deus, em todas as outras religiões o homem tem que fazer alguma coisa de si mesmo para sua própria salvação, como consequência, todo aquele que acredita que tem que fazer algo pela sua própria salvação em cooperação ou adição ao sacrifício de Cristo não pode ser considerado cristão de forma alguma.

Efésios 2,8: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus”.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário