Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2018:
1.035.642
Total de páginas visitadas até outubro 2018:
2.647.499

Mais Baixados

Comentários Bíblicos

Filipenses – Introdução e comentário – Ralph P. Martin

Prefácio do Autor
“É bem possível, na verdade, é quase certo que Paulo escreveu outras cartas subseqüentes à sua epístola aos Filipenses. Entretanto, de muitos pontos de vista. . . a epístola aos Filipenses pode ser considerada como a última carta, ou o testamento de Paulo.” Assim escreveu John A. Hutton num livro (.Finally, with Paul to the End, Londres, 1934, p. 218) que, mesmo não sendo um comentário à carta aos Filipenses, nem estando recheado de termos teológicos, pode ser considerado como uma das contribuições mais esclarecedoras, e úteis, para a compreensão do Paulo histórico.
Esta epístola tem um lugar de destaque no conjunto dos escritos apostólicos. Ela nos proporciona uma porta de acesso ao caráter pessoal e pastoral de Paulo. Ela provê, igualmente, elementos para uma análise completa de uma congregação cristã primitiva, com a qual Paulo manteve agradável e longo relacionamento. Algo das esperanças e temores, dos problemas e oportunidades dessa congregação, chega até nós, à medida que, com simpatia, tentamos adentrar seu mundo agora tão distante, através da carta de Paulo.
Estes assuntos continuarão a atrair o interesse de professores e ministros da Igreja, independentemente dos debates mais acadêmicos quanto à composição da carta e seu lugar de origem.
Nas páginas que se seguem encontra-se algo a respeito desta discussão, em que se dará maior atenção a dois pontos centrais: a natureza do ensino sectário, contra o qual Paulo admoesta, no capítulo 3, e o significado da grande passagem cristológica do capítulo 2:5-11. Este comentarista tentou sumarizar a matéria, em ambas as áreas, servindo- se de estudos recentes, especialmente os de J. Gnilka (1968) e J. F. Collan- ge (1973), a quem expressa gratidão.
Quanto ao comentário, nesta série, de Colossenses e Filemom, que apareceram em 1974, a nota introdutória, pelo Reitor Matthew Black, explica como estes volumes adicionais vieram a ser escritos. Resta-nos, uma vez mais, expressar nossa apreciação pela oportunidade renovada, oferecida a alguns estudantes, de dar uma segunda olhada no texto bíblico, e observar suas reflexões mais maduras (assim o esperamos), registradas em página impressa.
Visto que este prefácio está sendo escrito durante um período de férias no Spurgeon’s College, Londres, julgo apropriado que se reconheça a oportunidade que proporciona tal dispensa de responsabilidades docentes, e também que se mencione a excelente e congenial atmosfera, da universidade, para o preparo deste comentário.
Fuller Theological Seminary Pasadena, Califórnia
RP.M.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário