Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até janeiro de 2018:
1.057.273
Total de páginas visitadas até janeiro 2018:
2.747.755

Mais Baixados

Comentários Bíblicos

Introdução e Comentário (Antigo Testamento) vol. 7 – Juízes e Rute

PREFÁCIO DO AUTOR
Poucos períodos na história de Israel, tão cheia de acontecimentos,
são tão importantes como o período dos juizes. Durante estes
séculos, a nação enveredou por senda tortuosa que a levou à queda, e
quase à destruição. A apostasia das gerações posteriores tem sua
origem nos primeiros anos do estabelecimento em Canaã, havendo
uma clara linha divisória entre a época quando a nação inclinou-se,
pela primeira vez, perante Baal, e a época negra quando o templo
de Jerusalém foi profanado com todos os adornos do culto de Baal,
inclusive as prostitutas cultuais (2 Rs 23:4-7). Há muita coisa em
Juízes que entristece o coração do leitor; provavelmente, nenhum
outro livro da Bíblia testemunha tão claramente a nossa fragilidade
humana. Contudo, há nele, também, sinais inegáveis da compaixão
divina, da paciência de Deus. Pode acontecer que o leitor moderno
de Juízes ouça a voz de advertência do Espírito: “não é este o caminho,
não andeis nele.” Ou, ao considerar-se as vidas desses libertadores
“menos-que-salvadores”, poderá perceber-se a necessidade, em
nossa época, de um grande Salvador, de vida irrepreensível, capaz
de efetuar um livramento perfeito, não temporal apenas, mas eteno.
Estou cônscio das limitações deste comentário, especialmente da
necessidade de brevidade, a qual nos induziu à extrema simplificação
de alguns dos problemas; contudo, espero confiantemente que o estudante
amadurecido não seja induzido a erro, mesmo quando a discussão
de alguns pontos técnicos tiver sido abreviada. Fez-se um grande
esforço no sentido de inserir a história e a religião desse período no
contexto bem amplo da revelação bíblica. Muitos estudiosos da Bíblia
recuam diante da imensidão do Velho Testamento, o qual inclui 39
livros, escritos ao longo de 1.500 anos, envolvendo tantas outras
nações, além de Israel. Entretanto, há ricas recompensas à disposição
daqueles que se esforçam no sentido de descer aos detalhes da revelação
histórica. Os livros até então guardados como tesouros brilharão com nova luz; a própria Bíblia terá nova vida, de maneira diferente.
Aliás, o estudo do livro de Juizes requer o uso de um bom atlas bíblico.
Sou profundamente agradecido ao Professor D. J. Wiseman por
f suas numerosas e úteis sugestões, as quais incorporei ao texto, e
I também aos editores, por seu encorajamento e ajuda em todo o tempo,
j Finalmente, gostaria de reconhecer o ânimo e a ajuda contínuos, da
parte de minha esposa, a começar pela datilografia do manuscrito.
Arthur E. Cundall

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário