Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até setembro de 2018:
1.031.328
Total de páginas visitadas até setembro 2018:
2.632.612

Mais Baixados

Cristologia

JULGAMENTO CRISTÃO

Julgamento cristão

vivendopelapalavra.com

Por: Helio Clemente

 

O julgamento, pela reta justiça, é um dever do cristão, que deve estar acima das mágoas ou do bem querer, mas, o que vemos atualmente, na doutrina do politicamente correto, que está em alta moda na moderna igreja evangélica, é a proibição do julgamento em quaisquer condições: A covardia institucionalizada dentro da igreja.

João 7,24: “Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça”.

Este cristianismo covarde e efeminado tem minado seriamente as raízes da igreja, permitindo que falsos mestres e pessoas interessadas unicamente em promoção pessoal se instalem confortavelmente nas congregações, propagando falsas doutrinas e heresias que não poderiam jamais ser permitidas dentro da igreja de Cristo.

Judas, o irmão de Jesus, adverte e conclama os crentes a batalhar pela fé, ameaçada pelos falsos mestres infiltrados na igreja, esta batalha exige julgamento e jamais será vencida pela tolerância que se traduz por uma conivência prática com estes falsos mestres.

Judas 1,3-4: “Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo”.

Esta tolerância de heresias e falsas doutrinas na igreja é feita em nome de uma unidade que se forma unicamente em torno de homens, interesses pessoais e se afasta cada vez mais do cabeça da igreja, que é unicamente Cristo.

Esta unidade mundana é abominável, pois o cristão deve se congregar somente com seus irmãos na fé, não aceitando em seu meio as doutrinas espúrias que hoje permeiam, com trânsito livre, na igreja. Por este motivo, a igreja local afasta-se a cada dia, mais e mais, da Igreja de Deus.

Lucas 18,8: “Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”

Pode-se ir mais longe com relação a este tópico sobre o julgamento e estendê-lo para o xingamento. Dentro do atual cristianismo, falar em xingamentos válidos transforma o cristão em alvo de ataques furiosos da igreja, mas qual a atitude de Jesus com relação a este assunto? Vejamos abaixo um texto de John W. Robbins a este respeito.

John W. Robbins: “Desafortunadamente, a maioria dos cristãos professos de hoje parece nunca ter passado do capítulo sete de Mateus. Isso é muito ruim, pois eles deveriam ler o capítulo vinte e três. Apenas nesse capítulo, Cristo xinga 16 vezes os escribas e fariseus. Os nomes são: “hipócritas” (7 vezes), “filhos do inferno” (uma), “guias cegos” (duas), “tolos e cegos” (3 vezes), “sepulcros caiados” (uma), “serpentes” (uma) e “raça de víboras” (uma). Visto que Cristo era sem pecado, podemos deduzir pela consequência boa e necessária que xingar como tal não é um pecado. Visto que tudo o que Cristo fez foi justo e virtuoso, podemos deduzir por consequência boa e necessária que xingar corretamente é uma virtude. Mas Cristo não é o único exemplo. João, o qual alguns cristãos professos amam, pois eles entendem e representam incorretamente o que ele diz sobre amor, chama certas pessoas conhecidas pelos seus leitores de “mentirosos” e “anticristo”.

Mateus 23,15-17: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós! Ai de vós, guias cegos, que dizeis: Quem jurar pelo santuário, isso é nada; mas, se alguém jurar pelo ouro do santuário, fica obrigado pelo que jurou! Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro ou o santuário que santifica o ouro?”.

Mateus 23,33: Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?”.

É possível ver-se muito mais disto em toda a bíblia, nos evangelhos, em Judas, nas cartas de Paulo, em Atos, nos salmos imprecatórios de Davi e em todo o Velho Testamento, basta ler a bíblia com isenção (veja quadro abaixo).

Atos 23,23: “Então, lhe disse Paulo: Deus há de ferir-te, parede branqueada! Tu estás aí sentado para julgar-me segundo a lei e, contra a lei, mandas agredir-me?”.

Para quem quiser conferir, segue abaixo quadro demonstrativo dos falsos profetas e dos inimigos do evangelho e o tratamento que eles recebem na bíblia.

FALSOS PROFETAS E INIMIGOS DO EVANGELHO NA BÍBLIA

 

Alexandre 1Tm 1,20; 2 Tm 4,14;
Fariseus

Demétrio

Mt 23,13-36;

At 19,23-27;

Diótrefes 3 Jo 9-10;
Elimas, o mágico (Barjesus) At 13,4-11;
Falsos profetas (em geral) 1 Pe 2,1; 1 Jo 4,1-4; Ap 19,20; Ap 20,10; Ap 22,6-9;
Alguns judeus At 13,45; 14,19; 17,5; 21,27-40; 23,14-16;
Simão, o mágico At 8,9-13, At 18,24;
Alguns romanos At 16,19-21;
Tértulo e Ananias, o sacerdote At 24,2-9;
Outras referências Fp 3,18; Tg 4,4; Jd 1,5-16; Mt 25,41.

 

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário