Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até agosto de 2019:
1.126.243
Total de páginas visitadas até agosto 2019:
3.112.596

Mais Baixados

Literatura clássica

O PRÍNCIPE – Maquiavel

SINOPSE

Escrito no período do Renascimento, por Nicolau Maquiavel, filósofo italiano, O Príncipe é um guia de como chegar ao poder e manter-se nele, buscando não apenas o ideal, mas o real. Escrito em 26 capítulos, o livro assume a forma de manual de um bom governante, ensinando as estratégias políticas necessárias, nem sempre corretas e aprovadas majoritariamente, de como chegar ao poder e mantê-lo, garantindo a unificação e a estabilidade do Estado.

Com objetivo de garantir uma Itália poderosa e unificada, Maquiavel tornou-se o Pai da moderna ciência política, criando a noção de Estado como forma de organização de uma sociedade. O Príncipe é uma obra atemporal, que deve, no entanto, ser contextualizada ao momento de cada sociedade e não seguida de forma arbitrária.

É uma obra que ensina a agir segundo as circunstâncias e as necessidades, reconsiderando o caráter pejorativo do adjetivo maquiavélico, procurando sempre o apoio maior do povo, por meio da sua proteção e prosperidade, pois é o povo, consciente ou não, a força maior de um Estado. Fica claro na obra que se deve separar a moral do poder: para conquistar o poder muitas vezes deve-se praticar atos que envolvam a mentira, a fraude e a violência, mas também deve-se ter a diplomacia e saber a hora de ser gentil. A utilização de atos considerados impróprios moralmente deve ser empregada com a finalidade da conquista do poder absoluto — “os fins justificam os meios”.

NICOLAU MAQUIAVEL

Nicolau Maquiavel nasceu em Florença, Itália, em 1469. Pouco se sabe de sua vida até 1498, quando ele foi nomeado secretário e segundo chanceler da República Florentina. Durante sua permanência no cargo, viajou em missão à corte de Luís XII e à do imperador Maximiliano; esteve com César Bórgia na Romanha e, tendo observado a eleição papal de 1503, acompanhou Júlio II em sua primeira campanha de conquista. Em 1507, na qualidade de chanceler dos recém-nomeados Nove di Milizia, organizou uma força de infantaria que participou da captura de Pisa em 1509. Três anos mais tarde, ela foi derrotada pela Liga Santa em Prato, os Médici retornaram a Florença, e Maquiavel viu-se excluído da vida pública. Depois de sofrer prisão e tortura, recolheu-se em sua propriedade rural nas imediações de San Casciano, onde, em companhia da esposa e dos seis filhos, se dedicou a estudar e escrever. Entre suas obras figuram O príncipe, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio, A arte da guerra e a comédia A mandrágora, uma sátira sobre a sedução. Em 1520, o cardeal Giulio de Médici encomendou-lhe uma história de Florença, que ele concluiu em 1525. Após um breve retorno à vida pública, Maquiavel faleceu em 1527.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário