Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até maio de 2019:
1.086.374
Total de páginas visitadas até maio 2019:
2.895.104

Mais Baixados

Comentários Bíblicos

SALMO 110,4 – MELQUISEDEQUE

O SACERDÓCIO CONFORME A ORDEM DE MELQUISEDEQUE

vivendopelapalavra.com

Por: Helio Clemente

Qual o sentido em que Jesus Cristo foi sacerdote conforme a ordem de Melquisedeque?

Salmo 110,4: “O SENHOR jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”.

Os sacerdotes hebreus eram descendentes de Arão, eles tipificavam a Cristo na Antiga Dispensação, todavia eles deixavam de representar o tipo característico em dois aspectos:

1 – O sacerdócio era constituído de sucessivas gerações devido à morte do sacerdote que deveria ser substituído pelos seus descendentes.

2 – Estes sacerdotes não descendiam de uma linhagem real.

 Mas o que vemos na bíblia? Uma aparição súbita na história dos patriarcas nos apresenta Melquisedeque, um sacerdote real com nomes impressionantes: “Rei de Justiça” e “Rei de Paz”.

Gênesis 14,18: “Melquisedeque, rei de Salém (paz), trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo”.

Este Melquisedeque foi reconhecido por Abraão como rei e sacerdote, merecedor de respeito acima de todas as pessoas presentes, incluindo o próprio patriarca e alguns reis entre eles. Melquisedeque abençoou Abraão e este lhe deu o dízimo de todos os despojos, o que só pode ser feito a um sacerdote.

Gênesis 14,19-20: “Abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo”.

O que está escrito nestes versos não é pouco, Abraão reconhece Melquisedeque como rei e sacerdote, separando para ele o melhor dentre os despojos como humilde reconhecimento de seu sacerdócio real.

Hebreus 7,4: “Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos”.

Da mesma forma como Melquisedeque aparece subitamente, também subitamente se retira, não sabemos de onde veio nem para onde vai, sabemos apenas que ele era Rei de Salém, o que significa provavelmente “Rei de Jerusalém”, o que o aproxima mais ainda de Cristo.

Sua vida, como homem particular, antes deste episódio não tinha uma história conhecida ou escrita, assim como Jesus somente teve sua história a partir de seu ministério. Melquisedeque, todavia, permanece como sacerdote real para todo o sempre, sem pai, sem mãe, sem sucessores ou fim, por este fato, diz o Espírito em Hebreus que ele foi levantado como tipo exato da eternidade do sacerdócio de Cristo.

Hebreus 7,1-3: “Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão, quando voltava da matança dos reis, e o abençoou, para o qual também Abraão separou o dízimo de tudo (primeiramente se interpreta rei de justiça, depois também é rei de Salém, ou seja, rei de paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias, nem fim de existência, entretanto, feito semelhante ao Filho de Deus), permanece sacerdote perpetuamente”.

Temos objetivamente prefiguradas em Melquisedeque duas verdades, pelas quais o seu sacerdócio se assemelha com Cristo:

– Um sacerdócio que é sem começo ou fim, ou seja, eterno.

– Um sacerdócio real, a união de funções de rei e sacerdote na mesma pessoa.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário