Aviso

Somos um site cristão, em conformidade com os padrões reformados, não concordamos obrigatoriamente com as opiniões emitidas nos livros postados, todavia, sabemos que um cristianismo saudável somente pode ser exercido através do conhecimento. Desta forma, sigamos o conselho do apóstolo: “Julgai todas as coisas, retende o que é bom”. Louvado seja Deus!

ESTATÍSTICAS

vivendopelapalavra.com
Na internet desde Outubro/2011
Total de visitas até outubro de 2018:
1.035.642
Total de páginas visitadas até outubro 2018:
2.647.499

Mais Baixados

Pneumatologia - Doutrina do Espírito Santo

TRINDADE II – HELIO

A Trindade Divina II

vivendopelapalavra.com

Por: Helio Clemente

 

É a existência de Deus em uma única essência que subsiste em três substâncias ou pessoas, espirituais, distintas entre si, porém iguais em sua essência e natureza: Auto-existentes e co-eternas, constituindo um único Deus.

Existe em cada crente verdadeiro, a noção inata da trindade. Todos crêem em um Deus criador, contra o qual pecaram e todos têm noção inata de sua pecaminosidade; sabem que não podem satisfazer a sua justiça, não podem restaurar a comunhão perdida e cuja salvação, obtida por favor divino, não podem preservar por si mesmos. Desta forma, existem, de maneira necessária, um Redentor divino e um Preservador divino.

As distinções entre as pessoas divinas são assim colocadas, conforme nosso entendimento:

– O Pai é toda a plenitude da divindade invisível, sem forma a quem ninguém jamais viu, nem pode ver.

1 Timóteo 6,16: “O único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver. A ele honra e poder eterno. Amém!”.

– O Filho é a plenitude da divindade manifesta.

João 14,9: “Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?”.

– O Espírito é a plenitude da divindade operando no mundo criado e nas criaturas de forma imediata.

1 Coríntios 2,10: “Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus”.

Assim, a trindade divina não deve ser recebida como uma crença irracional que é aceita como demonstração de piedade, isto é, na verdade, vaidade religiosa e uma declarada ofensa a Deus. Não deve, também, ser recebida como especulação filosófica, tirando da trindade a personalidade e individualidade de cada pessoa. O conhecimento da trindade vem do conhecimento bíblico e da revelação do Espírito, por isso, cada crente deve ser aplicado no estudo e na oração, dedicando-se e pedindo com insistência pela operação do Espírito em sua diligência.

Sobre o autor

Hélio Clemente

Meu nome é Helio Clemente: Tenho 72 anos, sou engenheiro, brasileiro, divorciado, graduado pela USP em 1967. Não defendo ou divulgo nenhuma denominação em particular, cristianismo é somente o evangelho, e o evangelho é toda a Escritura, desde o Gênesis até o Apocalipse.

comente

Clique aqui para enviar um comentário